Sérgio Camargo rebate declaração de chefe de diversidade dos EUA que questionou baixa presença negra em SP

·2 min de leitura

RIO — O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, publicou em seu Twitter, nesta segunda-feira, críticas a declaração da chefe de Diversidade e Inclusão do Departamento de Joe Biden ao ver muitos brancos no Brasil.

Gina Abercrombie-Winstanley, de 64 anos, assumiu a posição em abril de 2021 e fez a primeira parada no Brasil, durante turnê internacional. Em dezembro, a diplomata esteve em São Paulo e disse que não esbarrou com muitas pessoas negras como ela na capital.

— Certamente notei que a maioria das pessoas que vi era branca. Com certeza mais claras do que eu. E sabendo que a população é próxima do 50%-50% [negros e brancos], eu me perguntei: ‘Ok, cadê todo o resto?’ — questionou ela durante uma entrevista à Folha.

Camargo rebateu: “Se ela quiser ver 100% de pretos, sugiro uma estada no Congo e na Nigéria.” , escreveu em um trecho da publicação em que compartilhou com seus seguidores.

“No Brasil, negros são apenas 9,4% da população (IBGE). Se ela quiser ver 100% de pretos, sugiro uma estada no Congo e na Nigéria. Acho que já temos excesso de negros vitimistas e não precisamos que os de fora venham dar palpite aqui, dizendo mais do mesmo.”, escreveu na postagem.

Vacina contra a Covid-19

Nesta segunda, o presidente da Fundação Palmares também usou a rede social para propagar, mais uma vez, informações falsas sobre a vacina contra a Covid-19. Ele afirmou que receberá a primeira dose caso "fique sem saída", por conta de obrigações relacionadas a emissão de passaporte.

"Não permitirei que injetem 'DNA alienígena' no meu corpo. Caso fique sem saída, por conta do infame passaporte, optarei pela Coronavac. Não funciona, mas ao menos foi desenvolvida utilizando método tradicional e já bem conhecido (vacina de vírus inativado)", escreveu Camargo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos