Sérgio Reis diz que se arrepende de vídeo convocando pressão sobre STF, mas nega medo de ser preso

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — Acostumado a lidar com holofotes há mais de 50 anos, o cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis voltou a chamar a atenção nos últimos dias depois que começaram a circular vídeos em que ele convoca uma greve de caminhoneiros para pressionar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF) às vésperas do feriado de 7 de setembro. Desde quando a gravação viralizou, o artista passou a ser alvo de críticas e de uma representação de membros do Ministério Público Federal (MPF) pedindo uma investigação sobre as declarações.

Em entrevista ao GLOBO, Reis diz que se arrepende de ter gravado o vídeo, mas volta a defender a realização de manifestações contra o Supremo Tribunal Federal (STF). “Se não fizer uma paralisação, não muda esse país”, diz o cantor. Ciente da repercussão negativa de suas declarações, o ex-deputado federal afirma que não teme ser preso por suas manifestações contra a Corte. “Eu não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem”, disse. Veja a seguir os principais trechos da entrevista.

Circularam alguns vídeos gravados pelo senhor convocando paralisações em todo o país para que o governo e o Exército “tomassem uma posição”. O senhor se arrepende de ter divulgado o vídeo?

Eu me arrependo, sim. Eu estava conversando com um amigo. Era tudo brincadeira. Ele postou no grupinho dele e aquilo foi para fora. E isso me prejudicou muito. Não era a minha intenção. Não temos que quebrar nada. Tem que fazer uma passeata serena, sem briga. Sem nada. Eu me arrependo demais de ter falado com um amigo. Amigo da onça, sabe como é.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos