Séries documentais serão inelegíveis em novas regras do Oscar

LOS ANGELES (Reuters) - Séries documentais de diversos episódios serão inelegíveis ao Oscar, disseram organizadores nesta sexta-feira, como parte de uma nova lista de regras da premiação, poucos meses depois da série da ESPN “O.J.: Made in America” vencer o Oscar de melhor documentário em longa-metragem.

A mudança irá afetar quaisquer séries documentais de diversos episódios que tentariam se classificar ao Oscar do ano que vem, disse um porta-voz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Documentários que são exibidos na TV ou lançados em DVD antes de uma rodada de classificação em cinemas serão inelegíveis.

“O.J.: Made in America” é um documentário de oito horas que foi exibido como um filme com intervalos em grandes festivais de cinema e alguns cinemas, logo, se classificando para competir no Oscar. Ele também foi exibido em cinco partes nas redes de TV ESPN e ABC.

O filme, uma pesquisa sobre o julgamento por homicídio em 1995 da estrela do futebol americano O.J. Simpson, venceu a categoria de melhor documentário em fevereiro, superando “A 13ª Emenda”, “Eu Não Sou Seu Negro”, “Fogo no Mar” e “Vida, Animada”.

A Academia regularmente atualiza suas regras sobre campanhas e elegibilidade ao Oscar.

Outras regras deste ano incluem a que membros da Academia não são mais permitidos de participar de almoços ou jantares para um filme que concorre ao Oscar que não tenha uma exibição do filme.

A Academia informou que as novas regras são parte do “esforço contínuo para chamar a atenção para a questão de campanhas excessivas e manter a atenção nos filmes em si”.

Os votos para melhor longa de animação também serão abertos a todos os membros da Academia, ao invés de um grupo montado. A animação “Zootopia: Essa Cidade é o Bicho” venceu a categoria neste ano.  

(Reportagem de Piya Sinha-Roy)