Sérvia 'pronta' para o Brasil e Bélgica 'preocupante': como a imprensa internacional vê adversário e algoz da seleção antes da Copa

Dois dos três adversários que o Brasil terá pela frente no Grupo G da Copa do Mundo entraram em campo nesta sexta-feira. Como já era esperado, os resultados que ambos tiveram mostram bem o grau de dificuldade que a seleção brasileira terá com cada um deles. Em Bahrein, a Sérvia enfrentou os donos da casa e goleou por 5 a 1, em grande noite de Dušan Tadić, craque do time.

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

Confira: Veja data, horário e atrações da cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2022

Faça o teste: Você conhece todos os mascotes das Copas do Mundo?

Capitão e camisa 10, o meia do Ajax marcou dois gols e deu uma linda assistência de letra para um dos gols do Sérvio. Já Vlahović, artilheiro da Juventus, mostrou que está recuperado da lesão ao entrar no segundo tempo da partida e também marcou um dos gols dos sérvios.

Embora saibam da dura tarefa que é enfrentar a seleção brasileira, os jornais sérvios ficaram bem satisfeitos com a atuação da equipe nesta sexta. O canal de TV "Telegraf", por exemplo, afirmou que a Sérvia "jogou exatamente o que precisava" para que as águias tivessem um "último vôo" vitorioso.

Já a "RTS", conglomerado que possui três emissoras de TV e duas de rádio, afirmou que "a seleção sérvia mostrou que está pronta para a Copa do Mundo do Catar, além de exaltar a atuação de Tadić e a recuperação de Vlahović.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

A Sérvia viaja para Doha no próximo sábado, e entra em campo contra a seleção brasileira na quinta-feira, às 16h (horário de Brasília).

Camarões em crise

Em crise por uma polêmica que envolve a convocação dos 26 jogadores para a Copa do Mundo, o técnico Rigobert Song e o presidente da federação camaronesa, Samuel Eto'o, Camarões ficou no 1 a 1 contra o Panamá. O gol foi marcado por Choupo-Moting, do Bayern de Munique.

Você escala: quais os seus 11 titulares do Brasil na Copa do Mundo

De acordo com o jornal esportivo Camfoot, a seleção de Song não convenceu. Embora tenha honrado o estilo construtor e criado chances ofensivas na partida, principalmente com Bryan Mbeumo no lado direito, Camarões falhou na conclusão dessas oportunidades.

— Os homens de Rigobert Song podem considerar-se sortudos por terem obtido este empate. Mas cuidado, Suíça, Sérvia e Brasil, seus três adversários na fase de grupos da Copa do Mundo, são muito mais difíceis que o Panamá — finalizou o jornal, estampando o quão cinza está o ambiente na seleção.

Bélgica 'preocupante', mas sem alarmismo

A Copa do Catar será a terceira disputada pela famosa "geração belga". Embora o resultado na Rússia tenha sido bom, com o terceiro lugar após eliminar a seleção brasileira, o time do técnico Roberto Martínez não chega em alta para esse Mundial. Nesta sexta, De Bruyne e cia. perderam para o Egito, que não disputará a Copa, por 2 a 1.

O jornal "Nieuwsblad" minimizou a importância do amistoso, mas ao mesmo tempo, enfatizou a atuação preocupante da equipe a menos de uma semana do Mundial.

— Pois bem, o resultado deste amistoso acaba tendo pouca importância. Mas o jogo entregue pela nossa seleção foi preocupante. E nossos adversários na Copa do Mundo venceram a partida-treino — escreveu o veículo, que apontou o jovem Loïs Openda como possível substituto de Lukaku, que ainda se recupera de lesão muscular.

Já o "De Standaard", lembrou do Canadá, adversário da estreia dos belgas no Catar, e afirmou que Alphonso Davies e sua trupe devem ter ficado felizes com o que assistiram da Bélgica.

— Quem torce para o Canadá deve ter achado Bélgica x Egito um grande jogo. A equipe de Mohamed Salah demonstrou no Kuwait na sexta-feira como você pode colocar a Bélgica de Roberto Martinez em apuros com pessoas que correm rápido — falou o jornal, que reverberou os problemas defensivos da Bélgica.

É difícil apontar um problema com o qual os belgas tiveram que lidar na sexta-feira no Estádio Jaber Al-Ahmad, lotado de torcedores egípcios. Mas a vulnerabilidade que os belgas mostraram, sobretudo na defesa, não terá escapado à atenção do seleccionador do Canadá.