Sérvios do Kosovo abandonam instituições públicas

Os sérvios que residem no Kosovo anunciaram a saída de todas as instituições do Estado kosovar, políticas, administrativas, judiciais e policiais, devido ao despedimento de um agente de polícia de etnia sérvia que se recusou a fazer cumprir a polémica lei das matrículas.

Para Goran Rakić, líder da principal força política sérvia no Kosovo, esta medida irá continuar em vigor "enquanto Pristina não começar a respeitar o direito internacional e os acordos celebrados em Bruxelas".

A nova legislação, que entrou em vigor no início de novembro, obriga todos os residentes no Kosovo a terem matrículas automóveis emitidas no Kosovo e tornou ilegais as matrículas sérvias. A medida reflete a situação vivida nas estradas sérvias, onde as matrículas kosovares nunca foram reconhecidas.

Acendeu, no entanto, um rastilho de pólvora entre os sérvios do Kosovo, maioritários no norte do país e que se mantêm fiéis a Belgrado, rejeitando a independência kosovar.