Sífilis em acompanhamento não impõe risco de agravamento de Covid-19

ANA BOTTALLO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pacientes que fizeram tratamento contra sífilis e estão em fase de acompanhamento estão mais vulneráveis ao vírus? Isso se aplica também a outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs)? A sífilis é uma infecção causada pela bactéria Treponema pallidum que tem o ser humano como único hospedeiro. Sua transmissão é por meio da relação sexual desprotegida com uma pessoa portadora ou, no caso da sífilis congênita, transmitida para a criança durante a gestação. A sífilis tem cura, e o tratamento é feito com o antibiótico penicilina, ofertado a toda a população pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo o infectologista Luiz D'Elia Zanella, do Hospital do Servidor Público Estadual, o tratamento e acompanhamento da sífilis devem ser seguidos normalmente, e não há maior risco de contágio pelo novo coronavírus por pacientes com sífilis. "Não há nenhum relato de superposição de sífilis e Covid-19, mas, como a transmissão da sífilis é por relação sexual, e nesse momento de pandemia não é recomendado o contato íntimo com uma pessoa contaminada, a regra permanece a mesma, tanto para evitar infecções sexualmente transmissíveis como para a doença do novo coronavírus", finaliza.