Exército chinês adverte que separatismo taiuanês é "uma ameaça à paz"

Pequim, 26 abr (EFE).- O Exército chinês conta com a capacidade necessária para derrotar "qualquer tentativa separatista", em um momento no qual o independentismo de Taiwan é "uma ameaça para a paz e a estabilidade", advertiu nesta quinta-feira um porta-voz do Ministério de Defesa chinês em um momento de crescente tensão entre Pequim e Taipé.

"Taiwan é uma parte inseparável da China, e a mensagem que mandamos é clara: temos a forte convicção, completa confiança e capacidade para deter qualquer tentativa separatista", afirmou hoje o porta-voz de Defesa chinês Wu Qian na entrevista coletiva mensal da instituição militar.

Wu confirmou que as recentes manobras com fogo real realizadas nas proximidades de Taiwan pela Marinha chinesa, que causaram grande inquietação na ilha, queriam mandar uma mensagem a esta e "melhorar a capacidade de salvaguardar a segurança nacional e as integridade territoriais".

"As atividades separatistas do movimento independentista de Taiwan são a maior ameaça real à paz e à estabilidade das relações ambos lados do Estreito de Formosa e também prejudicam o povo taiuanês", ressaltou o porta-voz militar.

O conflito entre a China e Taiwan, que se remonta à separação política de ambos territórios após a guerra civil de 1945-49, aumentou em tensão desde a chegada ao poder ilhéu em 2016 do independentista Partido Democrata Progressista, liderado pela presidente taiuanesa, Tsai Ing-wen.

O apoio econômico e militar dos Estados Unidos a Taiwan dá ao conflito dimensões internacionais, que nesta semana foi notado depois que dois bombardeiros B-52 americanos se aproximaram da costa chinesa como gesto de desafio após as manobras do regime comunista perto da ilha taiuanesa.

Sobre este incidente, o porta-voz Wu se limitou a apontar hoje que "a situação está sob o controle do Exército chinês" e afirmou que "continuaremos assim como de costume na decidida salvaguarda da soberania nacional". EFE