Só de camiseta, Talytha Pugliesi faz declaração sobre amor próprio: 'Que maravilhoso é se transformar'

Na semana passada, a top paulista Talytha Pugliesi, de 37 anos, esteve no centro de um movimento ao ter fotos deletadas do Instagram. Nas imagens, ela aparecia nua e foi denunciada por alguns internautas. Depois de muita pressão por parte da modelo e de seus seguidores, o aplicativo "devolveu" as fotos, todas já disponíveis no feed.

Nessa segunda-feira, Talytha usou a rede social para falar sobre amor próprio, num texto que veio acompanhado de mais um registro do seu marido, o o diretor de TV Lucas Diego Lopez, em que aparece só de camisetinha.

"Semana passada, eu senti pela primeira vez na vida o que é me amar de verdade. Por um minuto, parei e senti a mulher que eu sou e me deu um orgulho da porra e consequentemente senti um amor gigante pela mulher que estou me tornando a cada dia. Que maravilhoso é se transformar. Gratidão ao Criador e todos os seres de luz que me acompanham nessa trajetória. A vida pode ser incrível apesar dos perrengues e dificuldades. Hoje, consigo enxergar aprendizado em todas as situações que se apresentam em minha vida. Até aquilo que te coloca num lugar de desconforto imenso. Eu honro tudo o que eu vivi até o dia de hoje. Eu honro a mulher que sou aqui e agora. Eu honro a minha história de vida. Obrigada. Obrigada. Obrigada. Sinto muito. Me perdoe. Eu me amo. Eu me sou grata. Você já se amou de verdade? Eu realmente espero que sim."

Nem toda nudez...

Há mais ou menos três anos, a top Talytha começou a ser fotografada nua pelo marido. Tudo bem naturalmente. “A gente gosta de ficar pelado. Estou quase sempre sem roupa em casa; ele acha lindo e faz os cliques. Às vezes, é inesperado”, explicou a modelo. Muitas dessas imagens vão parar no perfil da paulista, de 37 anos, no Instagram. “Na verdade, não é um projeto, mas pode vir a ser no futuro.”

Talytha conta que as postagens acontecem por diferentes motivos. O primeiro tem a ver com seu senso de liberdade. "Afinal, o corpo é meu, e o perfil também”, observa. "Eu me sinto livre nua, liberta de crenças e camadas, personas e qualquer outro subsídio. Me aceito com muito mais facilidade e amor. E me conecto mais comigo, com meu espírito e natureza. Inclusive, amo ficar pelada na natureza. Tento desmitificar e dessexualizar o corpo feminino de alguma forma."