Sócios do Vasco conseguem decisão que obriga clube a apresentar contrato assinado com a 777 Partners

Cinco sócios do Vasco conseguiram na 21ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio decisão que obriga o clube, em intervalo de 48h a contar a partir da notificação, a disponibilizar o contrato assinado com a 777 Partners na íntegra, referente à venda do controle da SAF.

O clube da Colina ainda não foi notificado da decisão, de autoria do desembargador Luiz Roldão de Freitas Gomes Filho. Ele atendeu ao requerimento de efeito suspensivo de autoria de Egas Manoel Batista dos Santos Fonseca, Antônio Vicente Porphirio, João Carlos Nóbrega de Almeida, Elói Ferreira de Araújo e Rafael Landa Montenegro Nuno.

"Constata-se, pois, a presença dos requisitos legais à concessão em parte da tutela recursal, com fulcro nos artigos 299, parágrafo único, 932, II, e 1012, §§3º, I, e 4º do CPC, observados os limites objetivos desta demanda, para determinar que o réu franqueie aos autores pleno acesso aos documentos relacionados à constituição da Vasco da Gama Sociedade Anônima de Futebol, por eles indicados no item 80 da peça inicial deste requerimento (indexador 2, fls. 31/32), no prazo de 48 horas a contar de sua intimação por oficial de justiça, sob pena de aplicação das medidas cabíveis", afirma o desembargador na decisão.

Os sócios pediram ainda que o desembargador impedisse a realização da sessão do Conselho Deliberativo marcada para esta quarta-feira. Neste caso, Luiz Roldão de Freitas Gomes Filho indeferiu o pedido.

Esse é mais um episódio judicial envolvendo a criação e venda da SAF para a 777 Partners. Uma ação de autoria da Comissão de Defesa do Consumidor também solicitou que o clube apresentasse a íntegra do contrato assinado com a 777, estabelecendo que o rito estatutário que precede a conclusão fosse suspenso enquanto o cruz-maltino não acatasse a decisão.

O Vasco conseguiu reverter essa primeira ação, tanto que realiza na noite desta quarta-feira reunião do Conselho Deliberativo para apreciar o parecer das comissões sobre o contrato assinado com a 777 e dar uma recomendação para os sócios estatutários sobre a questão.

O Vasco pretende realizar Assembleia Geral Extraordinária no próximo dia 7 para os associados votarem validando ou não o contrato assinado com o grupo americano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos