Sócios do Vasco já bancam valor de folha do elenco e devem ajudar nas contas de 2019

Bruno Marinho
Jogadores do Vasco poderão ter o salário pago pela torcida

Sem fazer uma grande venda de jogador na temporada, a diretoria do Vasco contará com um reforço inesperado no caixa para conseguir fechar as contas de 2019. O movimento de associação em massa da torcida, iniciado na segunda-feira, será uma injeção nos cofres do clube. Os maiores beneficiados disso serão os jogadores.

Antes da campanha, com 33.400 sócios-torcedores, o Vasco recebia aproximadamente R$ 1,3 milhão. Com o número de associados atual, 119 mil (até o fechamento da reportagem), o valor supera a casa dos R$ 3 milhões, o que já equivale a uma folha de pagamento do departamento de futebol. A campanha vai até o próximo domingo e a expectativa do clube é chegar à marca de 150 mil, o que aumentaria ainda mais a receita.

Atualmente, o Vasco deve dois meses de salários para funcionários e elenco — setembro e outubro. Vanderlei Luxemburgo colocou como condição para permanecer em São Januário em 2020 o acerto de todas as dívidas que o clube tem com ele e o restante dos funcionários. A diretoria conta com a premiação ao fim do Brasileiro para pagar o passivo. Mas até o fim do ano, o Cruz-Maltino ainda terá os gastos com os salários de novembro, dezembro, 13º e férias. É aí que entra a importância da receita turbinada do sócio-torcedor.

O Vasco enfrentará o Cruzeiro segunda-feira, às 20h, em São Januário, pela antepenúltima rodada do Campeonato Brasileiro. O time cruz-maltino tenta garantir o quanto antes vaga na próxima Copa Sul-Americana.