'Saí do banho e ele estava se masturbando no quarto', diz neta de Flordelis sobre suposto abuso do pastor Anderson

Em seu depoimento no julgamento de Flordelis, Lorrane dos Santos, neta da ex-deputada, narrou que sofreu episódios de importunação sexual do pastor, mas não contou sobre os supostos abusos sexuais de Anderson do Carmo porque não se sentiu confortável na delegacia com quatro homens. Ela ainda narrou que uma vez o pastor tentou levá-la para um motel. Lorrane contou que a irmã Rafaela relatou que Anderson teria passado a mão em suas partes intimas. A testemunha é filha de Simone dos Santos e André Luiz, também réus pela morte do pastor.

— Lá em casa era comum acabar a água e o quarto dele era um dos últimos a terminar. Bati na porta dele e ele deixou tomar banho. Quando saí, ele estava vendo vídeo pornô e se masturbando. Depois tentou puxar assunto como se nada tivesse acontecido. Minha mãe falava para não ficar muito sozinha com meu avô, o Anderson. Ela sempre falou isso pra mim. Nunca entendia o porquê até passar por uma situação com ele. Soube que Anabel (filha adotiva de Flordelis) dormia com uma faca debaixo do travesseiro por medo do Anderson — relatou.

O depoimento de Lorrane emociona os réus e, durante os relatos, Flordelis, André e Simone choram ao ouvir a filha e neta.

— Minha mãe uma vez me falou que um dia eu entenderia por que nunca poderia namorar com ninguém. Eu já disse pra ela que preferia ser filha de uma “prostituta” pela mãe ser namoradeira e ter má fama na igreja. Ela me disse depois de presa: “ninguém me escutava” — disse a filha de Simone.

Ela negou que fosse uma das pessoas privilegiadas na casa. Explicou ainda que muitas meninas tinham vergonha e medo de falar com a avó Flordelis e, por ter um bom relacionamento com a ex-deputada, fazia a “ponte” entre elas. Lorrane afirmou ainda que as mulheres da casa tinham medo de ficar na piscina com o pastor Anderson:

— Toda vez que ele entrava na piscina, todo mundo saia correndo. Ele brincava de afogar as meninas e aproveitava para desamarrar o biquíni na parte de baixo e de cima.

Lorrane conta que Anderson dava “aval” para outros homens na casa aplicarem castigos a quem quebrasse as regras. Um deles era trancar as meninas em um quarto por até uma semana e elas só tinham acesso a comida quando alguém deixava os pratos do lado de fora. Um dos castigos também era acompanhar os cultos na igreja, onde, segundo a testemunha, eram tratadas como “princesas”.

— A gente apanhava de cinto, sandália, ficamos trancadas no quarto e tinha a punição de ir pra igreja. Quando comprávamos roupas, tínhamos que vestir e desfilar para ele aprovar. Uma vez ele não gostou, gritou que “não queria filha piranha” e mandou trocar. Mas quando chegávamos na igreja, éramos as princesas dele — contou.

Flordelis e Marzy, sua filha afetiva, saíram chorando durante o depoimento de Lorrane. A ex-deputada repetiu o mesmo comportamento que teve durante o depoimento do desembargador Siro Darlan. Voltaram cerca de 20 minutos depois.

O Ministério Público mostrou um depoimento que Lorrane deu ao Conselho Tutelar em setembro de 2020, em que ela diz ser “mentira da mídia” que Anderson do Carmo abusou de alguém na casa: “ele sempre foi respeitoso e nunca soube de alguma exploração infantil. Ele não deixava ninguém transitar com roupa de banho em casa porque havia homens e idosos”. Segundo o Ministério Público, ela estava em companhia de uma psicóloga mulher durante o depoimento.

Ao ser questionada sobre o teor, ela afirmou não se recordar que havia prestado a oitiva, apesar do documento conter sua assinatura.

— Muitas coisas eu não sabia que eram abusos. A doutora Janira (advogada de Flordelis) foi me ensinando o que era abuso, que não era apenas quando um homem estuprava a mulher. Entendi que sofríamos abusos na casa — justificou Lorrane.

Lorrane também foi acusada por um mototaxista por jogar no mar celulares. O episódio teria acontecido durante uma busca e apreensão da Polícia Civil na casa. Ela saiu sem que os policiais percebessem e pegou um mototáxi para ir até a praia de Piratininga, em Niterói. Ela nega ter se desfeito dos aparelhos:

— Sempre tive ansiedade e pânico. Os policiais estavam gritando e muito armados. Saí para espairecer, gritei e chutei a areia. Fiquei cerca de 15 minutos. Nunca estive com os aparelhos.

Ex-namorado de Simone dos Santos, filha biológica de Flordelis, Marcos Silva de Lima contou no julgamento que a namorada uma vez contou que sofreu abuso sexual do pastor Anderson do Carmo. Ela teria dito que após tomar um remédio que a deixava sonolenta, o pastor entrou no banheiro durante seu banho para tentar agarrá-la. Em um outro fato, Simone teria chegado na casa do namorado com o olho roxo e contou tentar separar uma briga entre os pais.

O empresário também contou em depoimento que presenciou um ato de fúria de Anderson e que ele “perseguia” a namorada e fazia diversas ligações durante o dia. No começo do relacionamento, apesar de Marcos custear a festa de aniversário do filho de Simone, o pastor Anderson do Carmo o proibiu de ir na comemoração e o ameaçou: "Se vier, não vai voltar pra casa", teria dito Anderson ao então namorado de Simone.

— Depois disso liguei para o ex-namorado dela, que também é do mundo gospel. Assim que falei o nome de Anderson ele emendou: "esse cara é complicado, me enforcou, sai dessa" — relatou.