Safra vai à Justiça do Rio contra recuperação judicial da Americanas

O banco Safra, um dos credores da Americanas, tenta suspender na Justiça do Rio a tramitação do processo de recuperação judicial da varejista. O banco também pede a suspensão da ordem de devolução de R$ 95 milhões pertencentes à Americanas. O Safra tem cerca de R$ 2 bilhões a receber.

Americanas: como ninguém viu o rombo de R$ 20 bilhões

Crise da Americanas: BNDES procedeu cobrança de fianças bancárias

Em recurso (agravo de instrumento) apresentado na sexta-feira, os advogados do banco dizem que seria necessária uma perícia para determinar as reais condições financeiras da Americanas. Também alegam ainda que não foi cumprido um dos requisitos básicos para o pedido de recuperação judicial: a apresentação dos três últimos balanços da varejista.

O Safra também pediu, nesta segunda-feira, a suspensão da ordem de devolução de R$ 95 milhões em recursos da varejista que foram retidos pelo banco ou, ao menos, a ampliação do prazo para 24 horas para que a devoluçaõ seja feita.

Americanas: Diretor executivo diz que vendas e entregas estão normais

Na decisão em que aceitou o pedido de recuperação judicial da Americanas, em 19 de janeiro, o juiz Paulo Assed Estefan, da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, determinou um prazo de seis horas para os bancos Votorantim, Safra, Bradesco e Itaú devolverem os valores da Americanas compensados a título de liquidação antecipada de dívidas.

O recurso que pede a suspensão da recuperação judicial está sob a relatoria da desembargadora Leila Santos Lopes, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ). E a reclamação com pedido de liminar sobre os R$ 95 milhões está sob a relatoria do desembargador Flavio Fernandes, também do TJ-RJ.

Americanas contrata Alvarez & Marsal

Em fato relevante, a Americanas informou aos acionistas na noite desta segunda-feira que contratou a consultoria global de serviços Alvarez & Marsal para gerenciar seu processo de recuperação judicial, com antecipou o colunista Lauro Jardim.

Rombo na Americanas: veja passo a passo o que acontece com a recuperação judicial

A consultoria atuará em coordenação com o Rothschild & Co, interlocutor da companhia na renegociação da dívida financeira, diz o texto do Fato relevante.

"O objetivo da Companhia é assegurar que a equipe executiva tenha todo apoio e ferramentas de referência no mercado para atingir os objetivos estratégicos do negócio", diz o texto.

A consultoria Alvarez & Marsal já atuou em casos de recuperação judicial das construtoras Odebrecht e da Delta, por exemplo, além da Varig e da Casa & Vídeo.