Saiba como chegar a Copacabana para a virada; começam os pontos de bloqueio

A Prefeitura do Rio colocou em prática o esquema de operação dos órgãos municipais para a festa da virada em Copacabana e em outros nove bairros onde também serão realizadas atividades para celebrar a chegada de 2023. Desde esta sexta-feira, o estacionamento está proibido em algumas ruas. Ao todo, 3 mil vagas serão eliminadas temporariamente no bairro. A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) também está realizando ações de fiscalização.

— Como diz o prefeito, será o maior réveillon. Das galáxias. O Rio consegue fazer o maior réveillon não só de Copacabana, mas em todo o Rio — disse o presidente da Riotur, Roni Aguiar Costa, ao apresentar o esquema especial para a festa.

Roni lembrou que o espetáculo será piromusicado com a trilha sonora ditando a sequência da queima de fogos de artifício, acionados por GPS e que devem ter menos barulho neste ano.

A partir das 7h deste sábado, as pistas da Avenida Atlântica junto à orla serão fechadas, num formato idêntico aos fins de semanas e feriados, quando as faixas operam como áreas de lazer para a população. Às 16h, o trânsito na Atlântica será fechado também na pista junto aos prédios.

Por sua vez, às 19h30 haverá o fechamento de todos os acessos ao bairro, com bloqueios montados pela prefeitura. A partir desse horário só será permitida a entrada de táxis e ônibus. Depois das 22 horas, nem mesmo estes serviços poderão circular no bairro. Até as 5 horas do dia 1º de janeiro, o embarque e o desembarque serão feitos em bolsões de estacionamento criados em acessos a Copacabana.

A rotina no trânsito volta a ser restabelecida aos poucos a partir das 5 horas do dia 1º de janeiro, domingo. Às 5 horas, os acessos à Copacabana serão liberados para todos os veículos. No entanto, a Avenida Atlântica, em ambas as pistas, continuará interditada. A partir das 10 horas, a pista junto aos prédios será aberta e funcionará com a mão invertida, como ocorre aos domingos e feriados.

A festa volta a ser realizada em seu formato tradicional depois de dois anos com restrições por causa da pandemia da Covid-19. Na passagem de 2020 para 2021, o evento foi cancelado. Na virada de 2021 para 2022, apenas a queima de fogos foi realizada, sem esquema especial para os transportes coletivos. Bloqueios chegaram a ser montados nos acessos ao Rio para evitar a entrada de ônibus fretados por turistas, em um esquema ''bate e volta''.

Além de Copacabana, as comemorações pela chegada de 2023 vão ser realizadas em outros nove pontos da cidade: Flamengo, Ilha do Governador, Madureira, Paquetá, Guaratiba, Penha, Ramos, Sepetiba e Barra da Tijuca.

O presidente da Cet-Rio, Joaquim Dinis, deu mais detalhes sobre a operação da festa, no dia 31. Em Copacabana, haverá a extensão da área de lazer até o Leme. No caso das interdições no bairro, a proibição de acesso de carro a partir das 19h30 vale também para os moradores.

Na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste, não haverá shows, mas os hotéis farão queima de fogos nos terraços.

O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, disse que nos pontos de bloqueio a Copacabana, agentes vão fiscalizar ambulantes para tentar evitar a entrada de produtos no bairro. Além disso, haverá operações de repressão a vans e ônibus clandestinos.

— O comércio ambulante naquele entorno é proibido. O espaço público tem que ser mantido para a circulação do público — acrescentou o secretário.

Os polêmicos "cercadinhos" também estão na mira da fiscalização:

— A gente está monitorando ambulantes e quiosques para coibir cerceamento irregulares. Até agora não registramos qualquer ocorrência. Os quiosques estão autorizados apenas a alugar mesas nas áreas de concessão. E os ambulantes na areia não podem fazer cercadinhos.

O estacionamento, como sempre, fica proibido na região. Apenas veículos a serviço de órgãos poderão trafegar e parar em pontos estratégicos do bairro. Segundo o secretário, os carros rebocados poderão ser retirados no próprio dia 1º de janeiro. Ao todo serão usados dez reboques em Copacabana.

Para a hora do evento, que só em Copacabana deve reunir 2 milhões de pessoas, o Corpo de Bombeiros preparou um esquema com reforço de equipes para atender possíveis ocorrências, inclusive no mar. O Major Fabio Contreiras, porta-voz dos Bombeiros, falou da preparação:

— Teremos o reforço de 500 bombeiros em plantões extras. Um helicóptero vai estar dedicado a monitorar a orla de Guaratiba a Copacabana. Mobilizamos 225 guardas-vidas para atender e orientar à população. Fazemos um apelo para as pessoas evitarem fazer fotos em contos evitando acidentes — disse Contreiras.

Na orla de Copacabana, na altura do Leme vão ser colocadas estruturas como botes, jet-skis e caminhões com equipamentos de combate à incêndio.

No caso da Comlurb, o plano prevê espalhar dois mil containeres é mil caixas metálicas, numa espécie de operação pré-limpeza para tentar reduzir o lixo jogado nas vias públicas. A ideia é que a metade desses equipamentos seja instalada em Copacabana. O esquema prevê que as praias já estejam limpas até as 10h do dia 1º de janeiro.

CET-RIO: O esquema mobiliza 195 profissionais da CET-RIO para coordenador o trânsito nas ruas e mais de 1.500 agentes e guardas municipais para ações de ordenamento e apoio ao trânsito em toda a cidade. Serão utilizados 18 painéis de mensagens variáveis que informarão sobre as alterações no trânsito, os horários e os locais dos bloqueios, as restrições de estacionamento, além das condições do tráfego. Nove reboques serão posicionados em pontos estratégicos das principais vias para desobstrução rápida em caso de acidentes ou avarias de veículos.

Comlurb: Serão mobilizados 4.456 garis para a limpeza das praias da cidade a partir do fim da madrugada do dia 1º. Locais como Parque Madureira, Praça Santa Emiliana, na Penha, e Estádio Moça Bonita, em Bangu, também receberão a operação especial de limpeza. O serviço terá o poio de 171 caminhões, entre compactadores e basculantes, 20 pipas d ́água para lavagem das vias com água de reuso e mais 67 equipamentos, como pás mecânicas, mini pás, varredeiras de médio porte e tratores de praia com implementos traseiros para peneiramento da areia.

Coleta Seletiva: A Comlurb terá quatro pontos de coleta seletiva em Copacabana: entre as Ruas Francisco Sá e Souza Lima, em frente à Rua Santa Clara, em frente à Avenida Prado Júnior, e em frente à Rua Anchieta.

Saúde 1: Apenas em Copacabana serão quatro postos médicos de um total de 144 profissionais de saúde. Eles terão o apoio de cerca 30 ambulâncias para atendimentos e remoções. Os postos estarão localizados ao longo da Avenida Atlântica, na altura das ruas Princesa Isabel, República do Peru e Bolívar, e da Praça do Lido. As unidades estão preparadas com recursos assistenciais para eventos com múltiplas vítimas e para pacientes que apresentarem situações de urgência, como mal-estar, traumas, cortes, etc.

Saúde 2: Em casos mais graves, pacientes serão transferidos para unidades de referência na Zona Sul (Hospital Municipal Miguel Couto e CER Leblon), Zona Norte (Hospital Municipal Salgado Filho), Zona Oeste (Hospital Municipal Lourenço Jorge) e na área central da cidade (Hospital Municipal Souza Aguiar e CER Centro).

Ônibus: Com as interdições em Copacabana, serão montados dois terminais de ônibus para embarque, a partir das 22h. Um na Enseada de Botafogo, próximo ao Botafogo Praia Shopping, para quem vai para o Centro, Rodoviária e alguns bairros da Zona Norte (Muda, Usina, Méier, Jacaré, Penha e Ilha do Governador). O outro terminal fica em Ipanema, com embarque na Avenida Vieira Souto e na Rua Prudente de Morais, com ônibus convencionais e executivos para bairros da Zona Oeste: Barra da Tijuca (Terminal Alvorada), Cidade de Deus, Recreio, Pechincha, Piabas, Santa Cruz e Campo Grande.

BRTs: O BRT funcionará nos horários habituais de sábado e de domingo. Os serviços serão reforçados das 16h às 22h, do dia 31, e das 4h às 10h, do dia 1º, nos corredores Transoeste, Transcarioca e Transolímpica. Os agentes do programa BRT Seguro irão atuar para combater à evasão, atos de vandalismos, a não permanência de ambulantes irregulares e o acolhimento às pessoas em situação de rua. As ações serão feitas com viaturas caracterizadas com direcionamento e patrulhamento de efetivo exclusivo que além da cobertura nos corredores.

Centro de Operações Rio: Este será o primeiro réveillon monitorado com o novo telão do Centro de Operações Rio, que está em expansão. O novo equipamento tem 122 metros quadrados, com 125 telas de 55 polegadas, tamanho superior aos 60 metros quadrados do antigo. O esquema terá a participação de 30 órgãos públicos e concessionárias que vão trabalhar de maneira integrada direto da sede.

Ordem Pública: A Secretaria de Ordem Pública (Seop) vai contar com oito bases de apoio em Copacabana, sendo uma fixa, e as demais com carros ou motos de apoio, além do patrulhamento ostensivo do Forte de Copacabana até o Leme. Serão 1.517 agentes em ações de ordenamento urbano e de trânsito. O esquema começa a funcionar a partir das 7h do dia 31.

Ordem Pública 2: Como em edições anteriores da festa, o Centro de Comando e Controle Móvel ficará estacionado na Avenida Atlântica, esquina com a Rua República do Peru, ligado ao Núcleo de Videopatrulhamento com acesso às câmeras da Prefeitura, dando mais agilidade no flagrante e coerção de delitos.A operação contará ainda com agentes do Grupamento de Cães de Guarda (GCG) atuando no entorno das estações do metrô Siqueira Campos e Cardeal Arcoverde, em ação preventiva de patrulhamento e em apoio ao público, com o foco na promoção da sensação de segurança. Também serão montadas cinco tendas operacionais, que ficarão instaladas na altura da Avenida Princesa Isabel, ruas Rodolfo Dantas, Paula Freitas e Santa Clara, e em frente ao Posto 2, para dar suporte ao Grupamento Especial de Praia e Marítimo (GPM) que farão rondas na faixa de areia. Todas as mercadorias apreendidas serão colocadas em caminhões baseados em Copacabana e depois encaminhados para o depósito público.

Assistência Social: A Secretaria Municipal de Assistência Social vai atuar em 10 pontos na Praia de Copacabana. Serão 125 pessoas trabalhando no atendimento de crianças e adolescentes.

Mulheres: Haverá posto de acolhimento para mulheres que sofrerem algum tipo de violência durante a festa de Réveillon. O espaço ficará na Escola Municipal Doutor Cícero Penna (Avenida Atlântica, 1.976) e contará com uma psicóloga e uma orientadora jurídica.

A Polícia Militar vai incrementar a vigilância no réveillon com uso de detetores de metal para coibir a entrada de armas de fogo e de objetos cortantes, como facas e canivetes, para evitar que arrastões voltem a acontecer na Praia de Copacabana durante a virada do ano. Entre as novidades que serão implantadas, na tentativa de oferecer proteção maior a cariocas e turistas, está a instalação de torres de observação ao longo da faixa de areia. As estruturas estarão equipadas com canhões de luz e vão ficar à beira d’água. O objetivo é monitorar um trecho de aproximadamente quatro quilômetros de extensão da orla, entre o Forte de Copacabana e a Avenida Princesa Isabel, no Leme.

Durante o último réveillon, foi justamente próximo ao mar que boa parte dos assaltos ocorreu. Para dificultar a ação dos bandidos, haverá ainda, em pontos estratégicos da faixa de areia, a instalação de tendas de policiamento, onde PMs ficarão trabalhando no patrulhamento. Também está prevista a utilização de quadriciclos para possibilitar que os agentes se desloquem mais rapidamente em caso de necessidade.