Saiba como harmonizar vinhos e espumantes para o ano novo

Carolina Ribeiro
·2 minuto de leitura
Klaucius Ank / Divulgação

RIO — Passado o Natal, é hora de planejar a virada do ano e organizar os comes e bebes da noite. Para apreciar melhor o menu, o chef e sommelier do Medusa Urbana Vinhobar, Guilherme Hoff, ensina que vinhos escolher para harmonizar com os pratos. Ele defende uma carta nacional para a ocasião, principalmente em época de alta do dólar.

— A ideia central da harmonização de vinhos com alimentos é potencializar sabores, aromas e texturas de ambos com a escolha acertada. É o famoso “1 + 1 = 3” — compara.

Para saladas, salpicão, sobremesas e rabanadas, a dica é escolher rosés feitos da uva pinot noir, que dá um toque seco ao vinho, mas ainda assim, é aromática e leve; ou da moscato giallo, que tem frescor e bouquet intenso e frutado, agradável para pratos leves e refrescantes, além de sobremesas. As indicações são Autêntico Rosé da Dom Candido e Moscato Giallo da Marzarotto (R$ 70, cada).

Para acompanhar lombo suíno, tender, chester e peru, a melhor pedida é um vinho com a uva merlot, como o Souvenir Merlot da Venice Wine (R$ 72). De acordo com o sommelier, ela é conhecida por oferecer um leque amplo para harmonizações, pois realça diversos tipos de queijos, carnes grelhadas e aves devido aos seus taninos leves e macios. No caso dos pescados, é preciso ter cuidado com o sal:

— É essencial para a harmonização que o processo de dessalga do bacalhau seja feito com precisão, já que o sal em demasia, em contato com os taninos mais intensos de rosés e tintos, gera um sabor metálico. Entre os vinhos brancos, prefira os mais encorpados, com acidez marcante e algum tempo de barrica — sugere, indicando o Terroir de Rosé da Vinhetica (R$ 75) e o português Sonante Dop Dão (R$ 85).

Lentilha e pratos com tomilho ou alecrim harmonizam com a uva cabernet franc, caso do Marzarotto Pleno Cabernet Franc (R$ 80). Segundo Hoff, a uva oferece um paladar frutado ao vinho, com aromas herbáceos e acidez. Para acompanhar petiscos como frutas secas, queijos, nozes e castanhas, o ideal são vinhos refrescantes, servidos em temperaturas mais baixas, ensina o chef, como o Espumante Provado Brut da Cavas do Vale (R$ 90) e o Chardonnay da Valparaíso (R$ 120).

E, se a busca é por um bom espumante, há diferentes opções para harmonizar com todos os alimentos:

— Espumantes brut casam bem com saladas e carnes vermelhas com menos gordura. Já os extra brut (mais secos) combinam com preparações ácidas e maior teor de gordura, caso dos frutos do mar e dos molhos que levam leite, manteiga e gordura animal. O Moscatel, uma preferência nacional, deve ser usado com as frutas secas e sobremesas típicas da data,como panetones e rabanadas.

O Medusa Urbana Vinhobar fica na Rua das Laranjeiras 336-D e abre de quarta a sábado, das 17h à meia-noite.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)