Saiba detalhes internos do voo que levou 640 afegãos desesperados fugindo de seu país

·2 minuto de leitura
Foto do interior de um avião C-17, da Força Aérea dos EUA, voando de Cabul para o Catar em 15 de agosto. (Foto: Divulgação/Defense One)
Foto do interior de um avião C-17, da Força Aérea dos EUA, voando de Cabul para o Catar em 15 de agosto. (Foto: Divulgação/Defense One)

Em mais uma cena surpreendente na fuga em massa do Afeganistão após o domínio talibã, um avião de transporte C-17, da Força Aérea dos Estados Unidos, abrigou cerca de 640 pessoas na noite de domingo (15), partindo da capital do país, Cabul.

Segundo oficiais de defesa dos Estados Unidos, o vôo de evacuação seguiu rumo ao Catar e chegou perto do recorde de maior número de pessoas já voadas no avião Boeing. A foto foi obtida pelo site Defense One.

Leia também:

O avião pertence à 436ª Companhia Aérea dos Estados Unidos, com base na Base da Força Aérea de Dover, em Delaware.

Neste fim de semana, correram o mundo as imagens de cidadãos tentando desesperadamente deixar o Afeganistão pelo aeroporto de Cabul. Moradores da cidade agarraram-se a um avião prestes a decolar, na tentativa de fugir do país.

Imagens gravadas por testemunhas mostram o momento em que um avião de transporte C-17, da Força Aérea dos Estados Unidos, começa a transitar na pista do aeroporto, cercado por centenas de afegãos.

Desesperados, dezenas deles tentam se pendurar nas rodas, asas e outras partes da aeronave. Alguns conseguem sentar em uma parte próxima à porta. O vídeo termina sem mostrar se a decolagem de fato aconteceu.

Tumultos resultaram em mortes

A cena é o símbolo máximo da agonia dos cidadãos locais na busca pela fuga, após o Talibã reassumir o poder do país no último domingo.

A imensa quantidade de pessoas no aeroporto de Cabul terminou em confusão, com disparos registrados por testemunhas. Segundo o veículo norte-americano “The Wall Street Journal”, três pessoas foram alvejadas e morreram.

Uma segunda informação, levantada pela Agência Reuters com testemunhas, aponta que foram cinco os mortos no tumulto. A nota não explica, porém, quais as causas destes óbitos.

Talibã retoma o poder

O Talibã tomou a capital e recuperou o poder no Afeganistão após quase 20 anos, desde que foi atacado pelos Estados Unidos, como retaliação ao atentado de 11 de setembro de 2001, e retirado do comando do país.

O episódio ocorreu após a retirada das tropas dos Estados Unidos do país, promovida pelo presidente Joe Biden após acordo assinado ainda por Donald Trump no ano passado.

Com o caminho livre, o Talibã exerceu sua força e foi reconquistando o poder. Até que no último domingo, o presidente Ashraf Ghani fugiu do Afeganistão e admitiu a derrota. Horas depois, o grupo extremista assumiu o controle do palácio presidencial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos