SAIBA MAIS-Lula dá posse a ministério plural, mas que não garante base para aprovar emendas à Constituição

Lula dá posse a ministros em Brasília

(Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu posse neste domingo a todos os seus 37 ministros, após um processo de formação de governo que incluiu negociações com diversos partidos políticos e cumpriu uma promessa de campanha de formar um ministério diversificado, com 11 mulheres e cinco negros -- dois recordes.

O ministério é formado por auxiliares muito próximos ao presidente, como o novo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, mas tem também integrantes de partidos que nem mesmo apoiaram o petista durante a campanha eleitoral.

O esforço de costura de Lula visou garantir uma coalizão de apoio ao governo no Congresso. A soma dos deputados dos partidos aliados neste momento alcança 282, sem chegar aos 308 necessários para aprovação de uma emenda constitucional.

E não há nem mesmo a garantia de que as siglas aliadas conseguirão entregar todos os votos que o governo precisa, especialmente PSD e União Brasil, que ainda tem parlamentares mais alinhados ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

Veja a seguir a lista de todos os ministros de Lula:

FAZENDA: Fernando Haddad (PT)

Ex-prefeito de São Paulo, é um dos nomes mais próximos de Lula dentro do PT. Foi candidato à Presidência em 2018, quando Lula não pôde concorrer. Perdeu disputa neste ano ao governo de São Paulo.

CASA CIVIL: Rui Costa (PT)

Governador da Bahia por dois mandatos pelo PT, é visto como um bom gestor e pode ficar à frente de um novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

DEFESA: José Múcio Monteiro

Ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), é bem visto dentro das Forças Armadas e elogiado por todos os espectros da política por sua capacidade de diálogo e articulação.

JUSTIÇA: Flávio Dino (PSB)

Dino é ex-juiz federal e coordenou a área de Justiça e Segurança Pública na transição de governo. Defende revogação de decretos que facilitam acesso a armas e maior rigor no combate a crimes ambientais. Foi governador do Maranhão.

RELAÇÕES EXTERIORES: Mauro Vieira

Vieira foi o último ministro do Itamaraty do governo Dilma Rousseff, entre 2015 e 2016, e já chefiou as principais missões diplomáticas do Brasil no exterior, incluindo a representação do país na Organização das Nações Unidas (ONU).

INDÚSTRIA E COMÉRCIO: Geraldo Alckmin (PSB)

Vice-presidente, o ex-governador de São Paulo é visto como um político hábil nas negociações de bastidores. Antigo adversário de Lula, deixou o PSDB e ingressou no PSB para concorrer na chapa do petista como vice. Coordenou o Gabinete de Transição.

PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO: Simone Tebet (MDB)

Senadora e ex-vice-governadora do Mato Grosso do Sul, Tebet foi candidata à Presidência da República pelo MDB este ano, alcançando o 3º lugar no primeiro turno, com 4,16% dos votos válidos. No segundo turno, Tebet apoiou Lula na disputa e fez intensa campanha para o candidato do PT.

MEIO AMBIENTE: Marina Silva (Rede)

Ex-senadora pelo Acre e ex-ministra do Meio Ambiente no primeiro governo Lula, Marina é respeitada internacionalmente na defesa das causas ambientais. Nas eleições de 2022, foi eleita deputada federal pela Rede em São Paulo.

AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO: Carlos Fávaro (PSD)

Agropecuarista e senador pelo PSD no Mato Grosso, Fávaro presidiu a Associação dos Produtores de Soja e Milho de seu Estado (Aprosoja/MT) entre 2012 e 2015, o que o projetou para o mundo político. É o escolhido para tentar reestabelecer as relações de Lula com o agronegócio, que apoiou amplamente o presidente Jair Bolsonaro nas eleições de outubro.

TRANSPORTES: Renan Filho (MDB)

Economista, ex-governador de Alagoas e senador eleito pelo MDB em seu estado. É filho do senador e ex-presidente do Senado Federal Renan Calheiros (MDB). Também já exerceu os cargos de deputado federal e prefeito do município de Murici.

MINAS E ENERGIA: Alexandre Silveira (PSD)

Senador por Minas Gerais e um dos fundadores do PSD. Já foi diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e deputado federal. Apoiou Lula já no primeiro turno das eleições deste ano, mesmo sem posição oficial de seu partido.

POVOS ORIGINÁRIOS: Sônia Guajajara (PSOL)

Liderança indígena brasileira e coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib). Foi candidata a vice-presidente do Brasil na chapa de Guilherme Boulos (Psol), em 2018. É deputada federal eleita pelo PSOL em São Paulo.

PREVIDÊNCIA SOCIAL: Carlos Lupi (PDT)

Presidente nacional do PDT e ex-ministro do Trabalho e Emprego nos governos Lula e Dilma. Durante sua gestão, foi responsável pela regulamentação das centrais sindicais e elaboração da emenda constitucional para a regularização do trabalho das empregadas domésticas.

CIDADES: Jader Filho (MDB)

Empresário e presidente do MDB no Pará. É filho do senador Jader Barbalho e irmão do governador do Pará, Hélder Barbalho.

COMUNICAÇÕES: Juscelino Filho (União Brasil)

Médico e deputado federal pelo União Brasil no Maranhão. Entre 2016 e 2019, foi vice-líder do governo Temer no Congresso Nacional.

INTEGRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Waldez Góes (PDT)

Governador do Amapá, em quarto mandato, e ex-deputado estadual. Ao anunciar o nome de Góes, que é filiado ao PDT, Lula disse que ele foi indicado ao cargo pelo União Brasil. Góes também foi presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal, entre 2019 e 2020.

ESPORTE: Ana Moser

Ex-jogadora de vôlei e medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. Fundou o Instituto Esporte e Educação, que promove a prática de esportes nas escolas públicas, o que levou à criação do programa de televisão Caravana no Esporte.

TURISMO: Daniela Carneiro (União Brasil)

Pedagoga e deputada federal pelo União Brasil no Rio de Janeiro. Já foi secretária municipal de Educação na cidade do Rio de Janeiro. Nas eleições de 2022, foi a candidata à deputada mais votada em seu Estado.

DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO E AGRICULTURA FAMILIAR: Paulo Teixeira (PT)

Professor, advogado e deputado federal pelo PT em São Paulo. Já foi Secretário Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano do Município de São Paulo e Diretor-Presidente da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (COHAB). Também exerceu o cargo de vereador da cidade de São Paulo

PESCA E AQUICULTURA: André de Paula (PSD)

Advogado, deputado federal pelo PDS em Pernambuco e 2º vice-presidente da Câmara dos Deputados. Também já exerceu os cargos de secretário da Produção Rural e Reforma Agrária e secretário das Cidades, ambos no Estado de Pernambuco.

SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL: Paulo Pimenta (PT)

Jornalista e deputado federal pelo PT no Rio Grande do Sul, foi eleito para seu quinto mandato. Nos últimos dois anos, foi o vice-líder do PT na Câmara dos Deputados.

GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL: Marcos Gonçalves

General da reserva do Exército. Já foi secretário de Segurança da Presidência da República no governo Lula e chefe da Coordenadoria de Segurança Institucional da ex-presidente Dilma Rousseff

RELAÇÕES INSTITUCIONAIS: Alexandre Padilha (PT)

Petista de carteirinha, foi coordenador das campanhas de Lula em 1989 e 1994. Em 2011, assumiu a Secretaria de Relações Institucionais e respondeu pela coordenação política do governo Lula. Médico especializado em Infectologia pela USP, também foi ministro da Saúde na gestão de Dilma Rousseff.

SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA: Márcio Macêdo (PT)

Vice-presidente do PT, o deputado foi tesoureiro da sigla de 2015 a 2020. Biólogo, já ocupou secretarias estaduais, como a de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Estado de Sergipe.

SAÚDE: Nísia Trindade

Presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desde 2017, teve papel fundamental durante a pandemia de Covid-19, organizando ações emergenciais, como aumento da capacidade de produção de kits de diagnóstico e a produção de vacinas. Também criou o Observatório Covid-19, rede de sistematização e monitoramento de dados epidemiológicos.

EDUCAÇÃO: Camilo Santana (PT)

Governador do Ceará por dois mandatos, é filho de ex-deputado e assistente social. Formado em Engenharia Agrônoma, ingressou na máquina pública como servidor concursado no Ibama.

GESTÃO: Esther Dweck

Professora Associada do Instituto de Economia da UFRJ, atuou no governo Dilma como chefe da Assessoria Econômica do Ministério do Planejamento entre 2011 e 2014, e como secretária de Orçamento Federal em 2015 e 2016.

TRABALHO: Luiz Marinho (PT)

Sindicalista e presidente do Diretório do PT em São Paulo, Marinho foi ministro da Previdência Social do governo Lula, entre 2007 e 2008, e prefeito de São Bernardo do Campo (SP) pelo PT 2009 a 2016.

PORTOS E AEROPORTOS: Márcio França (PSB)

Político do PSB, desistiu de concorrer neste ano ao governo de São Paulo, abrindo caminho para Haddad disputar o posto, e concorreu ao Senado, mas não conseguiu se eleger. Foi governador de São Paulo entre 2018 e 2019, após ter sido vice-governador de 2015 a 2018. Ao tentar a reeleição, perdeu o governo de São Paulo para João Doria (PSDB).

CIÊNCIA E TECNOLOGIA: Luciana Santos (PCdoB)

Com origens no movimento estudantil, é atual presidente nacional do PCdoB. Vice-governadora de Pernambuco --ela concorreu novamente como vice na chapa de Danilo Cabral (PSB), mas eles não se elegeram. Santos já exerceu mandatos como deputada federal e estadual.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Wellington Dias (PT)

Ex-governador do Piauí e senador eleito pelo PT, coordenou as conversas com o Congresso para a aprovação do Orçamento de 2023 e da PEC da Transição. Especialista em Políticas Públicas e Governo, iniciou a carreira política em 1992, como vereador de Teresina. Depois elegeu-se deputado estadual, federal e chegou a senador.

CULTURA: Margareth Menezes

Cantora de estilo AfroPop, proposta que mistura elementos africanos, brasileiros e pop, criou em 2004 a Associação Fábrica Cultural, entidade privada sem fins lucrativos voltada à construção coletiva do reconhecimento cultural local.

IGUALDADE RACIAL: Anielle Franco (PT)

Irmã de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada em 2018. Ativista das questões étnico-raciais, Anielle é jornalista, colunista, escritora e professora, além de feminista e diretora do Instituto Marielle Franco.

MULHERES: Cida Gonçalves

Militante e ativista do movimento de mulheres e movimento feminista, é especialista em gênero e violência contra a mulher. No primeiro mandato de Lula, ocupou o cargo de secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres na Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. Coordenou processo de articulação e fundação da Central dos Movimentos Populares no Brasil.

DIREITOS HUMANOS: Silvio Almeida

Jurista, filósofo e professor, preside o Instituto Luiz Gama, associação civil sem fins lucrativos formada por um grupo de juristas, acadêmicos e militantes dos movimentos sociais que atua na defesa das causas populares, com ênfase nas questões sobre os negros, as minorias e os direitos humanos.

ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO: Jorge Messias

O procurador da Fazenda já ocupou subchefia de assuntos jurídicos da Casa Civil (SAJ) do governo Dilma, ocasião em que ficou conhecido com a divulgação de grampo ilegal em que a então presidente conversava com Lula sobre um termo de posse. Messias integrou a coordenação do grupo de trabalho de Transparência, Integridade e Controle do gabinete de transição.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO: Vinícius Marques de Carvalho

Especialista em políticas públicas e gestão governamental, o professor-doutor no Departamento de Direito Comercial da Universidade de São Paulo já presidiu o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), de 2012 a 2016. Entre 2011-2012 foi secretário de Direito Econômico.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello, em Brasília, e Fernando Cardoso, em São Paulo)