Saiba o que foi destaque no Rio na manhã desta terça-feira

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — A mãe e a madrasta de uma menina de 6 anos agredida em casa, no bairro Jardim das Acácias, em Porto Real, no sul do Estado do Rio, serão autuadas por tortura na 100ª DP (Porto Real). As duas confessaram o crime, segundo a Polícia Civil. Já a avó da criança responderá por omissão. A menina está internada em estado gravíssimo num hospital particular em Resende, também no Sul do Estado, desde a tarde da última segunda-feira. Veja a seguir os outros destaque no Rio na manhã desta segunda-feira:

CASO HENRY

A defesa de Monique Medeiros da Costa e Silva, garantindo a inocência da professora no inquérito que apura a morte de seu filho, Henry Borel Medeiros, de 4 anos, afirma que ela sofria uma rotina de agressões por parte do namorado, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), e até já chegou a ser enforcada por ele, no imóvel. A professora, que esta presa, foi diagnosticada com Covid-19 e está isolada no hospital penitenciário.

GRIPE

O município do Rio incluiu grávidas com comorbidades no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. A partir desta terça-feira, dia 20, gestantes, a partir de 18 anos, com essa condição, podem se vacinar em qualquer posto de saúde contra a Covid-19. Gestantes devem comprovar diagnóstico apresentando laudo ou receitas de medicamentos e apresentar recomendação médica. Imunização deste grupo não terá escalonamento por idade.