Saiba o que foi destaque no Rio na manhã desta quinta-feira

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO — O novo depoimento da empregada do médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), e de sua namorada, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, à polícia revelou que o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, tomava xarope de Maracujá para ficar mais calmo. Já a cabelereira da professora, que também foi interrogada pela polícia, contou que presenciou a videochamada em que o menino contou à mãe que foi agredido e ainda ouviu uma brigada de Monique com Dr. Jairinho. Abaixo as notícias que também foram destaque nesta manhã:

Paes com Covid-19

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, testou positivo para Covid-19 na manhã desta quinta-feira. Paes acordou com sintomas leves de gripe, como dor de garganta, e foi submetido ao teste rápido. Segundo a assessoria da prefeitura, ele ficará em isolamento. Em maio de 2020, o prefeito já havia testado positivo e permaneceu assintomático durante todo o período de quarentena.

Sem medicamentos

Falta de sedativos para intubação aflige parentes de pacientes com Covid-19. Enquanto hospitais já enfrentam desabastecimento em outros estados, no Rio, a situação dramática começa a despontar com mais força em hospitais como o Souza Aguiar, no Centro Rio; Adão Pereira Nunes, em Caxias; no Hospital Municipal Albert Schweitzer; e até no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência para Covid-19 no Rio.

Ataque na Linha Vermelha

O cabo da Polícia Militar Heron Coelho Ferreira, de 29 anos, morreu num ataque de bandidos contra uma viatura do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) que estava na pista sentido Centro da Linha Vermelha, na altura do acesso à Ponte Rio-Niterói, no Caju, Zona Norte do Rio, na madrugada desta quinta-feira. Um outro agente ficou ferido e está internado no Hospital Central da corporação, no Estácio, também na Zona Norte. De acordo com a Polícia Civil, mais de 50 disparos atingiram a viatura.