Saiba o que motivou a operação da PF contra empresários bolsonaristas

O empresário Luciano Hang, da Havan, é um dos alvos da PF (Foto: AP Photo/Leo Correa)
O empresário Luciano Hang, da Havan, é um dos alvos da PF (Foto: AP Photo/Leo Correa)

A PF (Polícia Federal) deflagrou nesta terça-feira (23) mandados de busca contra empresários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) que em um grupo de mensagens defenderam um golpe de Estado caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vença as eleições presidenciais marcadas para o início de outubro.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, as buscas foram autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Na última quarta (17), reportagem do jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles, revelou que empresários bolsonaristas estão defendendo abertamente um golpe de Estado caso Lula vença o pleito deste ano.

As declarações foram feitas no grupo de WhatsApp chamado “Empresários e Política”.

Ainda segundo o jornalista, além da defesa explícita de um golpe por parte de alguns integrantes do grupo, constam também na troca de mensagens ataques ao STF, ao TSE e a quaisquer pessoas ou instituições contrárias ao presidente.

Conforme informou o jornal Estadão, os alvos da ação da PF são:

  • Luciano Hang (Havan)

  • José Isaac Peres (rede de shopping Multiplan)

  • José Koury (Barra World Shopping)

  • Afrânio Barreira (Grupo Coco Bambu)

  • André Tissot (Grupo Serra)

  • Meyer Nirgri (Tecnisa)

  • Ivan Wrobel (Construtora W3)

  • Marco Aurélio Raimundo (Mormai)

A corporação investiga se os empresários bolsonaristas se juntaram para “planejar e apoiar futuras tentativas de ruptura do Estado Democrático de Direito", informou Andréia Sadi, da GloboNews. O crime previsto no Código Penal tem pena de 4 a 8 anos de prisão.

Pedido de prisão de empresários

O senador Randolfe Rodrigues (Rede) solicitou a prisão dos empresários na última quarta. O parlamentar acionou STF para que a Polícia Federal e o Ministério Público atuem contra o grupo “Empresários e Política”.

Bolsonaro se irrita

Interlocutores do presidente Jair Bolsonaro reagiram com irritação à operação da PF contra empresários bolsonaristas. A informação é da jornalista Andréia Sadi, da GloboNews.

Moraes deve se reunir hoje com o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, para tratar sobre as eleições, e isso aumentou ainda mais a revolta no Palácio do Planalto.

A decisão de Moraes sobre a operação foi tomada na última sexta (19).