Saiba qual foi a fortuna deixada por Pelé

Além de ganhar como jogador de futebol, Pelé virou garoto propaganda e sua marca ficou conhecida mundialmente

Apesar de ter o maior salário do futebol brasieliro na década de 60, Pelé foi para os Estados Unidos após passar situação complicada. Foto: Nelson Almdeida/AFP via Getty Images
Apesar de ter o maior salário do futebol brasieliro na década de 60, Pelé foi para os Estados Unidos após passar situação complicada. Foto: Nelson Almdeida/AFP via Getty Images

A notícia da morte de Pelé, nesta quinta-feira (29), deixou o mundo mais triste. Pelos quatro cantos do planeta, muitos fizeram suas homenagens ao “Rei do futebol” e buscaram curiosidades sobre sua carreira.

Uma das maiores curiosidades buscadas por seus fãs foi a fortuna deixada e quem são os herdeiros do ex-jogador eleito o Atleta do Século.

Leia também:

Não há um número exato de quanto Pelé deixou, mas em 2019 o patrimônio do maior jogador de todos os tempos era estimado em R$ 80 milhões. Cinco anos antes, em 2014, a conceituada revista Forbes colocou Pelé em uma lista dos 10 atletas aposentados mais bem sucedidos do mundo.

Nesse levantamento foi informado que só com produtos licenciados em seu nome, além de contratos de publicidade e patrocínios, Pelé faturou cifras próximas a US$ 15 milhões (cerca de R$ 35 milhões à época).

Outro número mostrado pela Forbes dizia que se Pelé jogasse em 2021, em um grande clube europeu, teria ganhos anuais de US$ 223 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão), o que o colocaria como o jogador mais bem pago do planeta.

Como efeito de comparação, voltando à década de 60, auge da carreira de Pelé, seu salário era de cerca de 2 milhões de cruzeiros, algo equivalente a cerca de R$ 100 mil. Apesar de bem abaixo dos valores atuais, era o maior salário do futebol brasileiro naquela época.

Apesar de ganhar muito dinheiro, Pelé chegou a ficar em situação financeira complicada e por isso teria aceitado o convite do Cosmos, dos Estados Unidos, que em 1975 ofereceu um contrato anual de US$ 1,7 milhão.

"Não vou tentar disfarçar. Um grande motivo para minha mudança de pensamento foi aquela terrível visita do meu contador no final de 1974. Eu devia milhões, estava determinado a pagar minhas dívidas e eu sabia que jogar futebol era de longe a melhor coisas que eu podia fazer", escreveu Pelé no livro "Pelé: A importância do Futebol", lançado em 2013.

Os valores eram muito altos para a época e superavam de longe os ganhos de grandes lendas do basquete como Karrem Abdul-Jabbar que recebia anualmente do Los Angeles Lakers, cerca de US$ 450 mil.