Saiba quanto Tricolor pagou ao Dínamo para evitar punição na Fifa

·1 minuto de leitura
Leco, Pássaro e Raí deixaram dívida na Fifa superior a R$ 21 milhões por Tchê Tchê
Leco, Pássaro e Raí deixaram dívida na Fifa superior a R$ 21 milhões por Tchê Tchê

O São Paulo não corre mais o risco de ser punido pela Fifa por causa de uma dívida com o Dínamo de Kiev, devido à compra de Tchê Tchê. Na última sexta-feira, o presidente Julio Casares depositou os últimos 2,075 milhões de euros ou R$ 12,9 milhões para zerar a pendência herdada por seu antecessor, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Importante: somente neste ano, o Tricolor foi obrigado a depositar pouco mais de 3,4 milhões de euros aos ucranianos para escapar de uma sanção da entidade máxima de futebol - existia a preocupação no Morumbi de que o São Paulo ficasse proibido de inscrever atletas, como ocorreu com o Santos.

A quantia exata paga ao Dínamo de Kiev em 2021 foi de 3.425.139,00 euros ou R$ 21.275.117,42.

Os pagamentos foram feitos nas seguintes datas: 100 mil euros em 5 de fevereiro, 50 mil euros em 9 de fevereiro, 200 mil euros em 12 de março, 1 milhão de euros em 24 de maio e mais 2,075 milhões de euros no último dia 28.

Raí e Alexandre Pássaro, responsáveis pelo futebol do São Paulo quando da contratação de Tche Tche, se comprometeram a pagar 5,5 milhões de euros pela compra. Porém, bancaram apenas 2,5 milhões, ou seja, menos da metade.

Os outros 3 milhões de euros restantes tiveram um acréscimo de 425 mil euros em juros e custas pelo atraso no pagamento. Ou seja, a operação final ficou R$ 2,6 milhões mais cara.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos