Saiba quem é a drag queen Ruth Venceremos, que vai comandar assessoria de diversidade na Secom

“Negra, nordestina, educadora, artista, integrante do MST e defensora dos direitos humano”. Assim se descreve a drag queen Ruth Venceremos (PT-DF) a nova assessora de diversidade e participação social da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do governo Lula (PT). O anúncio já foi feito, mas a nomeação ainda precisa passar pelo Diário Oficial da União.

Ataque em Brasília: Saiba quem é o jornalista que usava tornozeleira eletrônica e ajudou a colocar bomba em caminhão

Renovação: Depois de trocar menos de 10% dos cargos do GSI, Lula agora quer mudanças

Erivan Hilário, de 38 anos, é natural de Santa Maria da Boa Vista (PE) e deu vida a Ruth Venceremos em 2015, ao se engajar na militância contra a LGBTfobia dentro do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, onde participa desde os 13 anos. A artista, que atualmente vive em Brasília, foi ganhando notoriedade por sua força política e foi a primeira drag queen a disputar um cargo de deputada federal pelo Distrito Federal nas eleições de 2022 , com 31.538 dos votos válidos.

Formada em pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ruth é mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Para ela, sua nomeação ao cargo vai na contramão do desmonte dos mecanismos de participação social durante o governo Jair Bolsonaro (PL).

— O meu corpo, por si só, já fala, como eu costumo dizer. Sou uma bicha preta, nordestina, do interior do Pernambuco, com trajetória no MST. A gente viu que, no último período, as pautas que envolvem os direitos humanos foram excluídas do espaço do Executivo — afirmou durante entrevista à Folha de S. Paulo.

Ela afirma ainda que pretende exercer na comunicação um processo de escuta da sociedade civil a partir do que aprendeu como pedagoga, drag queen e militante sem-terra.

"Ao assumir a Assessoria de Diversidade e Participação Social, aprofundo e renovo meu compromisso com a justiça social, a promoção da diversidade, da garantia dos direitos humanos e da democracia popular com efetiva e diversa participação social. ", escreveu em uma postagem na rede social.

Inspiração

“Sou uma bicha preta e eu sempre me via em Jorge Lafond”, diz Ruth em uma de suas publicações recentes nas redes sociais, em homenagem ao artista. Durante sua trajetória, ela diz ainda que por muitas vezes foi chamada de Vera Verão, personagem que marcou a carreira de Lafond, como forma de chacota.

“Lafond é uma forte inspiração para mim e para a construção de Ruth Venceremos. Por muitas vezes fui chamada de Vera Verão como forma de chacota, mas o que para meus detratores era um xingamento, para mim era motivo de orgulho", afirmou a pernambucana.