Saiba quem é o novo ministro da Agricultura, Carlos Fávaro

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, anunciou nesta quinta-feira o nome de Carlos Henrique Fávaro como o seu futuro ministro da Agricultura e Pecuária. Produtor rural, ele é filiado ao Partido Social Democrático (PSD) e atualmente senador pelo Mato Grosso.

Lula define escalação final de seus 37 ministérios; veja quem são

Posse de Lula: entrada na Praça dos Três Poderes será limitada a 30 mil pessoas; manifestações adversas não serão permitidas

Com o setor do agronegócio dividido entre Lula e o presidente Jair Bolsonaro, Favaro, 53 anos, assume o Ministério com o apoio de dois dos maiores produtores agrícolas do país, os grupos Maggi e Bom Futuro, ambos do Mato Grosso.

Contudo, outros produtores de soja e milho de Mato, que fazem parte a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja-MT), da qual o senador já fez parte, divulgaram uma carta rejeitando, em novembro, o nome de Fávaro para o Ministério. Eles argumentaram que, por apoiar políticas do Partido dos Trabalhadores (PT), Fávaro apoiaria invasões de terra — o que não é verdade. Além disso, a entidade informa na nota que decidiu ser retirar do Instituto Pensar Agro (IPA), entidade que dá suporte à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

Paranaense, Fávaro é filho de pequenos produtores que venderam suas terras e foram tentar a vida em um assentamento agrário em Grosso, com ele ainda pequeno. Apesar das dificuldades, a família prosperou na agropecuária.

Fávaro começou a ter uma atuação política ao ocupar cargos na Aprosoja-MT, em plena crise do setor em 2006. Foi quando conheceu o então presidente Lula, que pôs em prática um plano bilionário de renegociação de dívida dos produtores rurais.

Em 2014, então filiado ao Partido Progressista (PP), Fávaro foi eleito vice-governador do estado na chapa encabeçada pelo ex-procurador Pedro Taques (PSDB). Houve problemas na gestão de Taques que deixou o governo sob acusação de corrupção.

Fávaro tentou uma vaga no Senado quatro anos depois e ficou em terceiro lugar. Com a cassação da senadora Selma Arruda (PSL-MT), ele assumiu o cargo e integra as comissões de Meio Ambiente, Agricultura e Reforma Agrária e Desenvolvimento Regional e Turismo.

Ele conta que procurou o presidente Lula pessoalmente em março de 2021, depois que o presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG), desistiu da candidatura à Presidência. Se ofereceu para buscar aproximar Lula do agronegócio até então fechado com Bolsonaro por conta da forte atuação dos bancos públicos a favor dos produtores rurais.

Na equipe de transição, Fávaro foi coordenador do grupo temático da agricultura. Ele assume a pasta com o desafio de melhorar a imagem do setor no exterior.