Saiba quem são os atletas que testaram positivo para Covid-19 na Olimpíada no Japão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·5 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A abertura da Olimpíada de 2021 só ocorrerá na sexta-feira em Tóquio, mas a movimentação de mais de 11 mil atletas envolvidos na realização dos Jogos, milhares deles estrangeiros, vem gerando registros de casos de Covid-19 que deixam a organização em alerta. Apesar de protocolos sanitários estabelecidos para tentar evitar ao máximo infecções pelo coronavírus, cerca de 80 pessoas credenciadas, incluindo voluntários e integrantes de comissões técnicas, já testaram positivo para o vírus antes mesmo do início oficial da Olimpíada.

O número de cerca de 80 casos foi dado à imprensa na noite de terça-feira por Seiko Hashimoto, presidente do Comitê Organizador. Naquele momento, a contagem oficial, segundo a imprensa local, era de 71 casos. Nesta quarta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) informou que há oficialmente 79 pessoas com testes positivos, em um universo de 20 mil credenciados que já foram testados.

Embora assegurem que os dados de contaminação estão sob controle, os organizadores não descartaram na terça a possibilidade de cancelar os Jogos Olímpicos, a depender do avanço de casos. Os atletas estão sendo testados diariamente e devem utilizar máscaras na maior parte do tempo, salvo quando estão treinando ou competindo.

Até agora, são oito casos confirmados de atletas que tiveram suas identidades reveladas. Veja quem são:

Amber Hill (Reino Unido - Tiro esportivo)

Número um do mundo e considerada favorita a ganhar medalha nos Jogos de Tóquio, a britânica Amber Hill, de 23 anos, não poderá disputar a Olimpíada por conta de um teste positivo para Covid-19. Nos Jogos do Rio-2016, Hill havia chegado à final olímpica da categoria skeet.

Em comunicado, o comitê olímpico do Reino Unido informou que nenhum atleta será alocado na vaga de Hill, e frisou que a prioridade é a saúde da atleta. No comunicado, a própria Hill se manifestou dizendo que está "devastada" por ficar fora dos Jogos.

"Não há palavras para descrever como estou me sentindo. Depois de cinco anos de treino e preparação, estou completamente devastada por ter recebido um teste positivo para Covid-19. Embora eu não esteja com nenhum sintoma, cumprirei o isolamento seguindo orientação do governo", afirmou Hill.

Candy Jacobs (Holanda - Skate)

A skatista holandesa, de 31 anos, também teve teste positivo para Covid-19 confirmado nesta quarta-feira. Em post nas suas redes sociais, Jacobs afirmou estar de "coração partido" por não poder disputar a Olimpíada, por conta do resultado. Na foto que acompanha a mensagem, Jacobs aparece, de máscara, fazendo uma manobra de skate na Vila Olímpica de Tóquio.

Segundo a holandesa, ela vinha seguindo todos os protocolos sanitários adotados pela organização dos Jogos e, por isso, acredita que nenhum de seus colegas da delegação de skate tenham se contaminado.

Taylor Crabb (Estados Unidos - Vôlei de praia)

Com teste positivo para Covid-19 confirmado nesta quarta-feira, Crabb tornou-se o segundo atleta do vôlei de praia masculino a ficar fora dos Jogos, depois do tcheco Perusic, e também o segundo infectado da delegação dos EUA, depois da ginasta Kara Eaker. Aos 29 anos, Crabb, que faz dupla com seu compatriota Jake Gibb, participaria de sua primeira Olimpíada e tinha estreia marcada para domingo, dia 25.

Segundo a federação de vôlei de praia dos Estados Unidos, Crabb passou por testes depois que um membro da delegação da modalidade havia sido diagnosticado com coronavírus.

Pavel Sirucek (República Tcheca - Tênis de mesa)

O mesa-tenista, que participaria pela primeira vez de uma Olimpíada, teve seu teste positivo para Covid-19 confirmado nesta quarta-feira e está fora dos Jogos. Sirucek é o terceiro caso positivo de coronavírus na delegação tcheca. Além dele e de Ondrej Perusic, do vôlei de praia, o técnico desta modalidade, Simon Nausch também foi infectado.

Ainda segundo os chefes da delegação tcheca, outros dois atletas que tiveram contato com os infectados passarão por novos testes para saber se também estão com o vírus.

Kara Eaker (Estados Unidos - Ginástica artística)

Eaker, de 18 anos, foi convocada como ginasta substituta na equipe americana, liderada pela estrela Simone Biles. O teste positivo ocorreu no domingo e, segundo a federação de ginástica dos EUA, outra atleta substituta foi colocada em isolamento por precaução, devido à possibilidade de contato próximo com Eaker.

Ainda de acordo com a nota, as atletas olímpicas se mudaram para outras acomodações e instalações de treinamento separadas do restante da equipe, que poderá seguir sua participação nos Jogos Olímpicos.

Ondrej Perusic (República Tcheca - Vôlei de praia)

Perusic, que faz dupla com David Schweiner, foi o terceiro atleta a testar positivo para a Covid-19 na Vila Olímpica. Ele havia recebido a segunda dose de vacina cerca de um mês antes dos Jogos. Vale lembrar que receber o imunizante não elimina a possibilidade de contaminação pelo vírus, mas reduz fortemente a possibilidade de complicações graves relativas à doença. Perusic não relatou sintomas severos até o momento.

A dupla tcheca estrearia na Olimpíada na próxima segunda-feira, dia 26. Por conta do teste positivo de Perusic, no entanto, o comitê organizador informou que eles não poderão participar da competição.

Thabiso Monyane e Kamohelo Mahlatsi (África do Sul - Futebol)

Monyane, de 21 anos, lateral-direito, e Mahlatsi, de 23 anos, é centroavante, foram os primeiros casos de atletas dentro da Vila Olímpica que testaram positivo para Covid-19, no sábado (17). No mesmo dia, houve a confirmação de um terceiro caso na vila, mas de uma pessoa que não é atleta.

Por conta dos casos positivos, 21 pessoas que haviam tido contato com os jogadores da seleção sul-africana foram colocadas em isolamento. A situação lançou dúvidas sobre as condições de a África do Sul participar de sua estreia no torneio de futebol masculino, marcada para quinta-feira, às 8h (horário de Brasília), contra o Japão.

Jogadores que estão entre as pessoas incluídas no isolamento foram autorizados a treinar separadamente dos outros colegas, além de também usar veículos distintos. Todos deverão produzir testes negativos de Covid-19 até seis horas antes da partida para serem liberados a entrar em campo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos