Saiba quem são os políticos investigados pela Lava Jato eleitos em 2022

Ex-juiz Sério Moro foi eleito senador no Paraná. Juiz responsável pela Lava Jato, Moro viu antigos alvos da operação serem eleitos. (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Ex-juiz Sério Moro foi eleito senador no Paraná. Juiz responsável pela Lava Jato, Moro viu antigos alvos da operação serem eleitos. (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
  • Nas eleições deste ano, ao menos 12 políticos que estiveram na mira da Lava Jato foram eleitos;

  • Outros sete investigados ficaram como suplentes;

  • Lavajistas como Sérgio Moro e Deltan Dallagnol também foram eleitos.

Ao menos 12 políticos que estiveram na mira da Operação Lava Jato foram eleitos no último domingo (2), data que marcou o primeiro turno do pleito, para os cargos de governador e deputado federal. Outros sete investigados ficaram como suplentes na Assembleia Legislativa e na Câmara.

Seis dos candidatos que concorriam a um cargo e que também foram alvos da Lava Jato não obtiveram votos suficientes. É o caso de Cacá Leão (PP) e Romero Jucá (MDB), que disputavam uma vaga no Senado, Fernando Collor (PTB) e Luis Carlos Heinze (PP), que tentavam o governo, e Eduardo Cunha (PTB) e Delcídio do Amaral (PTB), candidatos a deputado federal.

Em contrapartida, lavajistas tiveram votações expressivas, como o ex-juiz Sérgio Moro (União Brasil). Eleito senador no Paraná, ele recebeu 1.953.188 votos, desbancando Álvaro Dias (Podemos). Deltan Dallagnol (Podemos) bateu recorde no estado, conseguindo 344.917 votos que lhe garantiram uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Há ainda o candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), que podem entrar no cenário político de 2023 caso ganhem o segundo turno marcado para 30 de outubro.

Eleitos que foram alvos da Lava Jato

Governador

  • Gladson Cameli (PP), eleito no Acre

Câmara dos Deputados

  • Aécio Neves (PSDB/MG)

  • Afonso Hamm (PP/RS)

  • Aguinaldo Ribeiro (PP/PB)

  • Arthur Lira (PP/AL)

  • Beto Richa (PSDB/PR)

  • João Leão (PP/BA)

  • Lindbergh Farias (PT/RJ)

  • Luiz Fernando Faria (PSD/MG)

  • Mário Negromonte Junior (PP/BA)

  • Roseana Sarney (MDB/MA)

  • Vander Loubet (PT/MS)

Suplentes

Na Assembleia Legislativa do estado

  • Affonso Monnerat (PP/RJ)

Na Câmara dos Deputados

  • Aline Corrêa (União Brasil/PE)

  • Fernando Pimentel (PT/MG)

  • Missionário José Olímpio (PL/SP)

  • Renato Delmar Molling (PP/RS)

  • Sandes Júnior (PP/GO)

  • Waldir Maranhão (PDT/MA)

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.