Sair do PSL será um livramento, diz deputado ameaçado de expulsão

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Deputado estadual paulista pelo PSL Frederico D'Ávila. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Deputado estadual paulista pelo PSL Frederico D'Ávila. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ameaçado de expulsão pelo PSL, o deputado estadual paulista Frederico D’Avila diz que sair do partido será um “livramento”. “Pelo menos fico fora de um ambiente hostil”, afirmou.

Defensor do presidente Jair Bolsonaro e ligado ao agronegócio, D’Avila recebeu nesta quarta (10) uma notificação de pedido de sua expulsão feita por Horácio do Nascimento Santiago, filiado à legenda de Jandira, na Grande São Paulo.

“Deve ser um laranja do Junior Bozella”, afirmou o deputado, em referência do presidente estadual da legenda.

D’Avila é acusado de infidelidade partidária por dois motivos: apoiou candidatos de outras legendas em cidades paulistas durante a eleição municipal e segue defendendo Bolsonaro, que rompeu com o PSL.

“Sou leal ao presidente, quem traiu Bolsonaro foi o PSL”, afirma o parlamentar. Sobre o apoio a candidatos de outras legendas, ele diz que nunca esteve ao lado de políticos de esquerda. “Quem se aliou com PT, PSOL e PC do B no Brasil foi o PSL”, afirma.

D’Avila diz que vai apresentar sua defesa no prazo de cinco dias, mas não tem muita ilusão de que seguirá no partido.

“Estão tirando todos os defensores do presidente. Vão sobrar uns quatro ou cinco”, diz.

Já foram expulsos os deputados estaduais bolsonaristas Gil Diniz e Douglas Garcia. “Eu estava esperando esse processo, achei até que demorou demais”, diz.