Salões de beleza entram na Justiça em busca de indenização por perdas sofridas na pandemia

·1 minuto de leitura

RIO - A Associação Brasileira de Salões de Beleza (ABSB), entidade que representa empresas do setor de de beleza no país, decidiu entrar na Justiça em São Paulo para pedir indenização pelas perdas sofridas com as restrições de funcionamento durante a pandemia. O próximo passo é ingressar com ação no Rio, incluindo a capital.

A estratégia é entrar primeiro com ações civis públicas contra o governo do estado de São Paulo e mais 12 prefeituras no estado, incluindo a capital.

O objetivo da medida é promover acordos e renegociações de dívidas tributárias tanto aos estabelecimentos que precisaram encerrar as atividades quanto às empresas que permenecem em funcionamento, mas que acumularam dívidas.

O próximo estado alvo de ação será o governo do Rio, além da capital. A associação também estuda ingressar com ações no Rio Grande do Sul, bem como em outros estados e municípios.

— Mais de 30% dos negócios encerraram as atividades e temos mais de 50% dos negócios com dívidas consideráveis. E, durante o período em que os estabelecimentos ficaram fechados, não tivemos nenhuma contrapartida, benefício ou ajuda no sentido de amenizar o problema econômico causado pelo fechamento — diz José Augusto Santos, presidente da entidade.

Iniciativa ganha adesão de segmentos

A estratégia da ABSB é semelhante à iniciativa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que há pouco mais de uma semana decidiu pedir indenização a prefeituras e estados por perdas sofridas com as medidas de restrição.

A entidade foi a primeira iniciar o movimento de ingressar com ações civis públicas, há pouco mais de uma semana. O movimento tem ganhado a adesão de outros segmentos, como shopings e confederação comercial, que também estudam entrar com pedido de reparação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos