Salles vai a PF pedir informações sobre investigação acompanhado de assessor armado

·1 minuto de leitura
Brazil's Environment Minister Ricardo Salles speaks with reporters in Brasilia, Brazil, Wednesday, May 19, 2021. Brazil’s Federal Police on Wednesday carried out searches to investigate whether key figures within the Environment Ministry, including Salles, facilitated illegal timber exports to the U.S. and Europe. ​(AP Photo/Eraldo Peres)
Foto: AP Photo/Eraldo Peres
  • Assessor é militar da reserva que atua como segurança do ministro.

  • Operação da PF mirou em endereços de Salles.

  • Ministro afirma que que investigação é exagerada.

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, foi a na superintendência da Polícia Federal em Brasília nessa quarta-feira (19). Ele estava acompanhado de um assessor, que também é militar da reserva, que estava armado.

A PF de Brasília está à frente da operação, Akuanduba, que realizou buscas no Ministério do Meio Ambiente e em endereços de Salles. A operação investiga desvios de conduta de servidores públicos da pasta e do Ibama, em relação a exportação de madeira.

Leia também

No local, Salles pediu para falar com o superintendente e cobrou o fornecimento de informações sobre o inquérito. Ele foi informado que o caso é sigiloso e está sob a responsabilidade do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o assessor também realiza funções de segurança do ministro, desde que ele passou a receber ameaças.

Em declaração feita em Brasília, Salles classificou a investigação como exagerada e diz não saber muito sobre o andamento. No entanto, afirma crer que o ministro Alexandre de Moraes foi induzido ao erro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos