Salvador tem 4 mortes de macacos por febre amarela; vacinação é reforçada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Foram confirmadas, nesta quarta-feira (29), quatro mortes de macacos por febre amarela em Salvador. Estes são os primeiros casos da doença registrados na capital baiana, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Os animais foram localizados nos bairros da Vila Laura, Paripe e Itaigara, elevando para 13 o número de cidades da Bahia com registro da doença em macacos. São elas: Alagoinhas, Camaçari, Catu, Cordeiros, Feira de Santana, Ituberá, Nova Viçosa, Ouriçangas, Pedrão, Salvador, Santa Rita de Cássia, São Felipe e São Miguel das Matas.

Apesar disso, nenhum caso foi confirmado em humanos no Estado. Das 16 notificações recebidas, 7 foram descartadas e 9 estão sendo investigadas nas cidades de Feira de Santana (1), Ilhéus (1), Itamaraju (2), Itiúba (1), Nova Viçosa (1) e Teixeira de Freitas (1) -há ainda casos de dois moradores de Alagoas que passaram por vários lugares na Bahia.

Com as mortes de macacos confirmadas, o governo estadual vai reforçar a vacinação contra febre amarela na capital baiana. Ao todo, serão disponibilizadas 2 milhões de doses para atingir a cobertura vacinal de 100% da população que ainda não está imunizada em Salvador. Nesta quarta, já foram liberadas 400 mil vacinas.

OUTROS CASOS

Na terça (28), o Espírito Santo confirmou a primeira morte humana por febre amarela na Grande Vitória. De acordo com a Secretaria de Saúde, o contágio teria ocorrido na cidade de Cariacica e se trata de febre amarela silvestre, ou seja, com transmissão na área rural.

Cinquenta e dois municípios também registraram mortes de macacos por suspeita de febre amarela no Estado. Vinte e dois deles tiveram amostras confirmadas para a doença, incluindo a capital, Vitória.

Também já houve confirmação da doença em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.