Samantha Schmutz fala sobre Mônica Martelli em festa de de Marina Ruy Barbosa: 'Não vou apontar dedo'

·2 minuto de leitura

Samantha Schmutz foi cobrada por internautas a se posicionar sobre a ida da atriz Mônica Martelli à festa de aniversário de Marina Ruy Barbosa, no último fim de semana. Ao posar ao lado de Marina e outras convidadas sem máscara, Monica, que foi às ruas protestar pelos mais de 500 mil mortos pela Covid-19, entre eles seu amigo Paulo Gustavo, foi duramente criticada nas redes. Ontem, ela se desculpou.

Leia mais:

''Esquece a Mônica. Ela já pediu desculpa, já foi. Não vou ficar aqui apontando dedo. Não vou ter nem dedo porque é tanta gente fazendo m****. Vocês estão satisfeitos agora? Vai lá perturbar ela, eu heim! Cada um tem que olhar pra ir. Ela foi na festa lá e já sabe que não é pra ir. Também não vou ficar de Supernanny de todo mundo, não. Acho que a gente tem que virar a câmera para gente e ser coerente. Saber o que pode fazer, onde a gente pode abdiciar, onde a gente pode se expor. Então cada um com a sua coerência'', declarou Samantha em entrevista ao jornal ''Carta capital'' na noite desta segunda-feira.

Além de falar da colega de profissão, Samantha comentou sobre artistas que apoiam o presidente Jair Bolsonaro, como Regina Duarte e Mário Frias: ''A cultura já vem sendo massacrada há muito tempo. Não entendo quem é da área e vota em quem é contra cultura. Para mim não fecha. Tem bastante, né... Do meu ciclo, não. Mas conheço quem apoia, sim. Olha, acho muito difícil conversar com quem está alinhado a esse governo. Que não facilita a cultura, atrasa as coisas, atrapalha. Eu não entendo mesmo. Não sei nem o que dizer para essas pessoas.''

A comediante também falou da morte de Paulo Gustavo, que completou dois meses no início da semana:

''Ah... Dois meses não é nada. Para mim Paulo Gustavo e um irmão. Eu já perdi pessoas. Já perdi meu pai. E é um processo de cicatrização, da ferida que tá muito aberta. É muito ruim perder um amigo dessa forma. Um cara novo, cheio de vida. É assustador. Para mim, como amiga, é horrível. Por enquanto, todos os dias, tem um momento que vejo uma foto dele, passo em um lugar que lembra ele... Todo lugar que eu passo é ele. É muito difícil, muito ruim.''

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos