Sampaoli assume culpa após goleada sofrida: 'Responsabilidade é minha'

O técnico argentino não teve uma boa noite contra o Palmeiras (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Tudo vinha bem. Futebol envolvente, invencibilidade e liderança compartilhada. Mas neste sábado o Palmeiras acabou com a tranquilidade do Santos no Campeonato Brasileiro. O completo domínio do alviverde no Pacaembu refletiu no placar, uma goleada por 4 a 0 que faz o alvinegro praiano se distanciar da liderança que por enquanto tem único dono: o próprio verdão.

Com o resultado contra o alvinegro praiano os questionamentos obviamente apareceram e entre eles as mudanças no time titular, principalmente a ausência de Rodrygo que disputa seus últimos jogos nos gramados brasileiros e Sampaoli, que vem fazendo um rodizio, revelou que o quarto raio não estava nas suas melhores condições:

- Jogamos três jogos em uma semana. Depois do jogo de quarta, Rodrygo e Sasha estavam com dores e avisaram que não estavam bem. Preferimos essa equipe para começar a partida. Jorge já vinha de dois jogos seguidos e colocamos Felipe Jonatan por isso.

O comportamento do Santos dentro de campo é sempre uma dúvida para todos. A alternância de posições e o jogo apoiado realizado pelo time de Sampaoli traz o fim das posições tradicionais. Laterais jogam no meio, volantes jogam abertos, zagueiros auxiliam na criação e o argentino tentou explicar o que pensou, e não conseguiu botar em prática, contra o rival:

- Pensamos que no 3-1-4-2 poderíamos ter pressão contra o rival, mas não funcionou. Foi um fracasso. Os primeiros minutos foram do Palmeiras. Não conseguimos controlar. Tivemos que resolver situações, vínhamos de 3 jogos em uma semana, com viagens e realmente custou bastante escolher as melhores opções para mim. Responsabilidade é totalmente minha, tenho que assumir.

Não foi a primeira vez que o Santos foi goleado no ano. Além do Palmeiras, Ituano e Botafogo-SP já tinham surpreendido o alvinegro e o técnico argentino foi questionado sobre o assunto, mas tentou destacar o que o time precisa melhorar:

- Pode ter a ver com a obrigação de sermos protagonistas. Tomamos dois gols, a responsabilidade aumentou e, em vez de controlar o jogo, fomos muito decididos a atacar com mais gente que o normal. Temos que corrigir o sistema defensivo. Deixamos espaços atrás e essas goleadas podem acontecer. Dominamos todos os jogos do Brasileirão até aqui e hoje não.

Santos agora volta a campo só no dia 26 de maio contra o Internacional na Vila Belmiro. Uma semana inteira para acabar com a sequência de jogos que o time vinha enfrentando.

Mais no Yahoo Esportes: