Samsung assume vazamento de dados de clientes

Samsung foi vítima de uma nova invasão a seus sistemas (CFOTO/Future Publishing via Getty Images)
Samsung foi vítima de uma nova invasão a seus sistemas (CFOTO/Future Publishing via Getty Images)
  • De acordo com a empresa, nenhum dado confidencial foi vazado;

  • Ataque hacker teria acontecido em julho;

  • Samsung já está entrando em contato com os clientes afetados.

A Samsung comunicou a seus clientes sobre um incidente de segurança cibernética ocorrido em julho, quando "um terceiro não autorizado adquiriu informações de alguns dos sistemas da Samsung nos EUA". Dentre os dados vazados estão nomes, aniversários, informações de contato e informações de registro de produtos.

A empresa afirmou que descobriu a invasão no dia 4 de agosto e atualmente já está investigando o caso, em conjunto com uma "empresa líder de segurança cibernética externa". A companhia sul-coreana também afirmou que está enviando e-mails para os clientes que foram afetados, e que continuará informando-os à medida que a investigação avança.

Segundo a companhia de tecnologia, nem todos os clientes tiveram as mesmas informações vazadas, mas que nenhum dado confidencial, como número do seguro social ou cartões de crédito e débito foram obtidos. A fabricante do Galaxy afirmou também que os usuários afetados não precisam tomar medidas de segurança para manter seus produtos ou contas Samsung seguras, pois “os dispositivos do consumidor não foram afetados em relação a este incidente”.

Ainda assim, a empresa recomenda ficar atento a qualquer atividade incomum em sua conta, e ser extremamente vigilante com e-mails de phishing. O tipo de informação vazada na invasão hacker é bastante útil para ataques de engenharia social, em que alguém pode se passar por um representante oficial e enganar o consumidor a partir das informações já obtidas.

Nos últimos meses o número de ataques hackers tem crescido comparativamente aos demais crimes. Especialistas recomendam sempre ter a autenticação de dois fatores ativados nas contas, e sempre desconfiar de e-mails que contém links, além de contatos via telefone por parte de empresas pedindo informações.