Samsung deve deixar de fabricar 30 milhões de smartphones em 2022

Estima-se que a Samsung deixará de fabricar 30 milhões de smartphones em 2022. Foto:  REUTERS/Kim Hong-Ji.
Estima-se que a Samsung deixará de fabricar 30 milhões de smartphones em 2022. Foto: REUTERS/Kim Hong-Ji.
  • Samsung deve deixar de fabricar 30 milhões de smartphones em 2022;

  • A estimava, que era de 310 milhões de celulares fabricados, vai para 280 milhões;

  • Guerra na Ucrânia atravancou a logística de peças e restringiu o mercado.

A Samsung, companhia sul-coreana do setor tecnológico, não está passando por um bom momento. Estima-se que empresa deve deixar de fabricar 30 milhões de unidades de smartphones em 2022, segundo informações do portal Maeil Business News. A estimava, que era de 310 milhões de celulares fabricados, passa para 280 milhões.

Um dos culpados pela baixa produção seria a guerra na Ucrânia, que atravancou a logística de peças e restringiu o mercado.

Leia também:

A companhia suspendeu a operações na Rússia, forte mercado com 144 milhões de habitantes. Desde o começo do conflito, a atuação da gigante sul-coreana no leste europeu foi drasticamente reduzida.

A isso, somam-se efeitos posteriores a dois anos de pandemia de Covid-19, que também dificultaram a linha de produção, diminuindo a quantidade de microchips, essenciais para os diversos dispositivos da empresa.

Apple segue mesmo caminho

Do outro lado do globo, a companhia norte-americana de tecnologia Apple seguiu passos parecidos.

A companhia, que estimava fabricar 20 milhões de celulares a mais em 2022, cortou em 20% a estimativa de produção do iPhone SE, modelo de nível básico-médio da marca, até o final do ano, segundo a Bloomberg. Mesmo após o número ter sido revisado, estima-se que a quantidade seja a mesma do ano passado.

*Com informações do TechCrunch.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos