Samsung quer ‘copiar e colar’ o cérebro em chips 3D

·2 minuto de leitura
A Samsung acredita que tem uma maneira melhor de desenvolver chips semelhantes ao cérebro: emprestar estruturas cerebrais existentes. (Getty Images)
  • Companhia sul-coreana quer usar estrutura cerebral para desenvolver chips

  • Cada unidade da memória refletiria a conexão dos neurônios cerebrais

  • Inteligência Artificial pode evoluir ainda mais rápido com novos chips

A Samsung acredita que tem uma maneira melhor de desenvolver chips semelhantes ao cérebro: emprestar estruturas cerebrais existentes. A empresa de tecnologia propôs um método para "copiar e colar" o mapa das conexões neuronais de um cérebro em chips neuro mórficos 3D. A abordagem seria baseada em um arranjo de nano eletrodos que entra em grandes volumes de neurônios para registrar onde os neurônios se conectam e a força dessas conexões.

Leia também:

Você pode copiar esses dados e "colá-los" em uma rede 3D de memória de estado sólido, seja um armazenamento flash disponível no mercado ou uma memória RAM de ponta.

Em um comunicado à imprensa, a Samsung revelou que os autores, por meio desta abordagem de copiar e colar, vislumbram a criação de um chip de memória que se aproxima das características únicas de computação do cérebro - baixo poder, aprendizagem fácil, adaptação ao ambiente e até mesmo autonomia e cognição - que estiveram além do alcance da tecnologia atual.

Cada unidade de memória teria uma condutância que reflete a força de cada conexão de neurônio no mapa. A Samsung disse que o resultado seria um retorno adequado à "engenharia reversa do cérebro", como os cientistas originalmente queriam.

Mudança ajudaria sistemas de Inteligência Artificial

A mudança pode servir como um 'atalho' para sistemas de inteligência artificial que se comportam como cérebros reais, incluindo a flexibilidade para aprender novos conceitos e se adaptar às mudanças nas condições. Você pode até ver máquinas totalmente autônomas com cognição real, de acordo com os pesquisadores.

Na próxima etapa, o mapa neuronal copiado pode ser colado em uma rede de memórias não voláteis, como memórias flash comerciais usadas em unidades de estado sólido (SSD) ou novas memórias, como memórias resistivas de acesso aleatório (RRAM).

No entanto, há um problema gritante com a complexidade. Um cérebro humano tem cerca de 100 bilhões de neurônios com mil vezes mais ligações sinápticas, de modo que um chip neuro mórfico ideal precisaria de cerca de 100 trilhões de unidades de memória. Esse é um desafio difícil para qualquer empresa, e isso não inclui o código necessário para fazer esse cérebro virtual funcionar. A Samsung pode ter aberto a porta para a IA humana, mas pode levar muito tempo antes que alguém alcance esse objetivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos