Sancionada lei que torna Império Serrano Patrimônio Imaterial e Cultural do Estado

·1 min de leitura

RIO - O governador do Rio Cláudio Castro assinou nessa quarta-feira a sanção à lei que torna o Grêmio Recreativo Escola de Samba Império Serrano Patrimônio Imaterial e Cultural do Rio de Janeiro. A iniciativa, que deu origem à Lei n° 9529, é do deputado Dionísio Lins (Progressista). A publicação no Diário Oficial deve ocorrer nesta quinta-feira.

O parlamentar justifica que a finalidade é resguardar a história de uma das mais tradicionais escolas de samba em atividade no estado. Outra lei também de sua autoria havia transformado a Portela em Patrimônio Imaterial e Cultural do Estado no começo do mês:

— O Império Serrano tem sua origem no Morro da Serrinha, e foi a primeira a possuir uma escola de samba mirim, a "Império do Futuro". Fundada em 1947 no bairro de Madureira, a escola tornou-se uma grande referência não só para os moradores da região, mas de toda a cidade; conquistando um total de nove títulos — defendeu Lins.

Em 2022, o Império Serrano, desfila pelo Grupo de Acesso. Será a oitava escola a se apresentar no sábado de carnaval, 26 de fevereiro, pela Série Ouro, na Marquês de Sapucaí. O enredo “Mangangá”, sobre o capoeirista baiano Besouro é desenvolvido pelo carnavalesco Leandro Vieira, também responsável pelo carnaval da Mangueira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos