Evo Morales retorna à Bolívia após recuperação de cirurgia em Cuba

(Atualiza com declarações do ministro da Presidência).

La Paz, 5 abr (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, retornou na quarta-feira a seu país após o processo de recuperação ao qual se submeteu em Cuba devido uma cirurgia na laringe, que foi realizada no último sábado.

O avião presidencial aterrissou às 20h20 locais (21h20 de Brasília) no aeroporto da cidade de Cochabamba.

O presidente, que não fez declarações, foi recebido no terminal aéreo pelo vice-presidente, Álvaro García Linera, seus ministros, chefes militares e policiais, além de líderes sindicais e camponeses simpáticos ao governo, que o celebraram.

"A Bolívia está muito contente de receber novamente o presidente", disse a dirigente camponesa Juanita Ancieta em declarações ao canal estatal "Bolivia TV", que transmitiu ao vivo a chegada do avião presidencial.

A cirurgia realizada em Morales para remover uma tumor benigno da corda vocal do lado esquerdo, que lhe provocava rouquidão há vários meses, aconteceu no sábado, no Centro de Pesquisas Médico-cirúrgicas (Cimeq), em Havana.

Morales poderá falar muito pouco e devagar até o próximo sábado. Dentro de uma semana, já poderá se comunicar normalmente e, em duas, retomará sua agenda de discursos, segundo adiantou na segunda-feira o vice-presidente.

O ministro da Presidência, René Martínez, que acompanhou Morales em Cuba, disse aos veículos de imprensa que, por recomendação médica, o presidente ficará em "repouso relativo" até o dia 17, em Cochabamba, e não poderá participar de atividades públicas.

Segundo o ministro, Morales cumprirá as recomendações e a previsão é que retome sua agenda de trabalho normalmente após essa data.

Logo após a cirurgia, as autoridades bolivianas disseram que o presidente deveria ficar em repouso, sem falar, de 4 a 7 dias, mas agora está permitido conversas breves e sem muito esforço.

Os sinais de rouquidão de Evo Morales começaram a aparecer em janeiro, quando ele fez um longo discurso para comemorar seus 11 anos no poder e depois aumentaram com o decorrer do tempo.

O nódulo foi descoberto no início deste mês em Cuba, depois que Morales foi atendido com urgência por disfonia, sinusite e dores no abdômen.

O presidente decidiu fazer sua operação na ilha depois que cinco médicos de seu país não conseguiram curar sua disfonia, segundo o Executivo boliviano, mas esta não é a primeira vez que Morales realiza procedimentos médicos em Cuba e, em mais de uma ocasião, aproveitou viagens a Havana para fazer revisões de saúde. EFE