Sanders lidera as primárias na Califórnia

Uma vitória permitiria a Bernie Sanders participar em uma campanha prolongada pela indicação presidencial democrata com o rival moderado Joe Biden

O senador Bernie Sanders lidera com folga as primárias democratas na Califórnia, celebradas durante a 'Superterça', mas a imprensa dos Estados Unidos evita declará-lo vencedor no estado que distribui o maior número de delegados para a convenção partidária.

Com quase 80% dos votos apurados, o senador progressista de Vermont tem 33%, contra 24% do ex-vice-presidente Joe Biden, que representa a ala mais moderada do partido.

Uma vitória na Califórnia permitiria a Sanders, que se define como um "socialista democrático", ser o principal rival de Biden, que venceu na maioria dos 14 estados que organizaram as primárias na terça-feira.

O bilionário Michael Bloomberg, que investiu a quantia recorde de 500 milhões de dólares (de sua fortuna pessoal) em publicidade, aparece em terceiro com 15%, o limite para obter delegados.

A senadora de Massachusetts Elizabeth Warren, que já foi uma das favoritas na disputa a nível nacional, estava abaixo deste limite, com 12%.

Apesar da liderança de Sanders na Califórnia, o estado mais populosos do país e bastião da esquerda americana, a imprensa americana não declarou um vencedor no estado.

Os californianos poderiam votar por correio até terça-feira e estas cédulas poderiam reduzir a diferença, particularmente se estes eleitores votaram depois que a campanha de Biden começou a ganhar força após a grande vitória na Carolina do Sul no sábado e do apoio recebido de três ex-rivais, Pete Buttigieg, Amy Klobuchar e Beto O'Rourke.

Nas primárias democratas de 2016, o partido precisou de quase um mês para contar todas as cédulas da disputa entre Sanders e Hillary Clinton na Califórnia, e a vantagem desta última caiu consideravelmente com os últimos votos.