Santa Catarina terá a primeira adega subaquática para maturação de vinhos

·2 minuto de leitura

RIO - Uma adega subaquática para maturação de vinhos será implementada em Bombinhas, Santa Catarina, no Sul do país. A atividade, que está cada vez mais se expandindo pelo mundo a fora, será inédita no Brasil. O projeto vai imergir vinhos através de uma jaula de aço inox, em uma profundidade entre 10 a 15 metros, em um local que não interfira na navegação, pesca artesanal e no meio ambiente marinho.

A cartilha dos vinhos ainda não está definida e as gaiolas estão sendo confeccionadas, mas segundo um dos idealizadores do projeto Renieri Balestro (Neio), sócio fundador na empresa de mergulho Patadacobra, a previsão é de que três mil garrafas sejam submersas.

- Cada vinícola irá escolher os tipos de vinho e com os testes que serão feitos mensalmente. Com o tempo, teremos uma seleção dos que apresentarão os melhores resultados. Atualmente, estamos na produção das gaiolas e na escolha dos vinhos. A previsão é iniciarmos com 3000 garrafas - disse Renieri.

O local será vigiado 24 horas, controlada e operada pela escola de mergulho Patadacobra Mergulho e Turismo. Além dos mergulhadores, o controle será feito por biólogos e sommelieres, através de consultoria permanente feita pela empresa Catta Wines, com sede também em Bombinhas.

O objetivo é retirar garrafas mensalmente para uma avaliação técnica e análise química comprovando tecnicamente o resultado do processo realizado através das: ondas, marés, temperatura, umidade e sucessão ecológica.

Essa modalidade vem sendo realizada em diversos locais do mundo, tais como: França, Itália, Grécia, Croácia, Portugal, Estados Unidos, Argentina, Chile, Uruguai e Espanha.

O projeto surgiu a partir de dois amigos amantes do vinho e do mergulho. Eduardo Lazzarim que é proprietário e Sommelier da empresa Catta Wines e Renieri Balestro (Neio) sócio fundador na empresa de mergulho Patadacobra ficaram sabendo de algumas histórias sobre uma atividade inovadora de colocar vinho para maturar em baixo d’água. Depois de estudarem a possibilidade de ser feita a adega submersa em Bombinhas, viticultores de altitude da serra Catarinense foram procurados para parceria. Em seguida, receberam o apoio da Prefeitura de Bombinha, além da Deputada Estadual Paulinha e de Humberto Conti, atual presidente da Associação Vinhos de Altitude Produtores e Associados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos