Santinhos falsificados são nova arma destas eleições na internet

Além das fake news, internautas têm atacado eleitores desavisados com santinhos falsificados nas redes sociais, principalmente, o whatsapp. Os que mais aparecem com números trocados são Lula (PT), que teve a candidatura barrada pelo TSE dentro da Lei da Ficha Limpa, e Jair Bolsonaro (PSL).

Por estar preso desde o dia 7 de abril, em Curitiba, condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, o ex-presidente petista chamou o ex-prefeito da capital paulista, Fernando Haddad (PT), para substituí-lo nas urnas. Manuela D’ávila (PCdoB) é sua vice. Mas, nos santinhos on-line, quem aparece é Lula com o número do capitão reformado do Exército. Ao invés de 13, 17.

Reprodução/Internet

No caso do deputado federal, no lugar de 17, aparecem os números de Ciro, 12; e de Haddad, 13.

Reprodução/Internet

Além deles, Geraldo Alckmin (PSDB) que tem o número 45, Marina Silva (Rede) que conta com o número 18, e Guilherme Boulos (PSOL) que vai aparecer nas urnas eletrônicas caso você digite 50, também tem seus santinhos espalhados com o número 17, de Bolsonaro.

Reprodução/Internet

De acordo com o MPE (Ministério Público Eleitoral), que conversou com o jornal O Globo, ainda não há procedimentos específicos para santinhos on-line falsificados. Mas toda interferência pode e deve ser denunciada pelo site: www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/sac.

Já o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) afirmou, também ao Globo, que as denúncias vêm do MPE e precisam acontecer. “Denúncias de peças de propaganda eleitoral abusivas ou que induzam ao erro devem ser trazidas à Justiça Eleitoral por meio do Ministério Público Eleitoral como candidatos, partidos ou coligação”, concluiu.

Fique esperto! Os números corretos são os seguintes em ordem alfabética dos nomes de todos os candidatos à Presidência da República:

Álvaro Dias (Podemos) – 19

Cabo Daciolo (Patriota) – 51

Ciro Gomes (PDT) – 12

Fernando Haddad (PT) – 13

José Maria Eymael (DC) – 27

Geraldo Alckmin (PSDB) – 45

Guilherme Boulos (PSOL) – 50

Henrique Meirelles (MDB) – 15

Jair Bolsonaro (PSL) – 17

João Amoêdo (Novo) – 30

João Goulart Filho (PPL) – 54

Marina Silva (Rede) – 18

Vera Lúcia (PSTU) – 16