Santos Dumont: Bolsonaro diz que é preciso atender o Rio e o passageiro

·1 min de leitura

BRASÍLIA E RIO — Um dia depois de se reunir com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, o presidente Jair Bolsonaro comentou nesta quinta-feira (dia 13) o pedido do correligionário para que o governo altere o edital de concessão do Aeroporto Santos Dumont.

Lembrando que nasceu em São Paulo, mas se elegeu pelo Rio, afirmou que tem interesse em atender as demandas do estado com relação ao leilão, mas que precisa atender também o usuário.

— Há bom interesse nosso em atender o Rio e atender o usuário, ao qual nós devemos lealdade — disse Bolsonaro.

Após a visita de Cláudio Castro ao presidente e ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o governo federal anunciou a criação de um grupo de trabalho que trabalhará ao longo de um mês para revisar o modelo de concessão.

— Também pedi para que observem essa disputa entre o Rio e Minas por hubs (centros de distribuição de voos). Precisamos de equilíbrio em qualquer hipótese.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos