São Paulo abrirá escolas para oferecer merenda aos estudantes mais vulneráveis

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
Merenda era desviada para festas da prefeitura. Foto: Reprodução
A partir do dia 8, com retorno efetivo das aulas, a merenda será ofertada a todos os estudantes. (Foto: Divulgação)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a abertura das escolas estaduais somente para oferecimento das merendas aos alunos a partir do dia 1º de fevereiro. Ao todo, serão 5 mil escolas no estado que ofertarão as refeições a 770 mil estudantes.

“O objetivo é garantir a segurança alimentar, principalmente aos alunos mais vulneráveis”, afirmou Doria, nesta quarta-feira (27), durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. A partir do dia 8, com retorno efetivo das aulas, a merenda será ofertada a todos os estudantes.

A oferta das refeição será com revezamento de alunos obedecendo o limite máximo de até 35% dos estudantes nas fases vermelha e laranja do Plano São Paulo, e até 70% na fase amarela.

Leia também

Segundo o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, a partir do dia 1º as escolas também permanecerão abertas para receber os alunos e apoiar no uso e aprendizado das tecnologias virtuais.

“No processo de retomada, os 770 mil, os mais vulneráveis, serão priorizados e poderão ir às escolas diariamente”, completou Rossieli.

NOVO PARQUE RIO PINHEIROS

O governo de São Paulo também anunciou a construção do Novo Parque Rio Pinheiros. As obras, segundo Doria, começarão no mês de fevereiro e devem durar 12 meses.

“As obras deste parque começam na próxima semana com previsão de 12 meses para sua conclusão. Até 28 de janeiro de 2022, o Novo Parque do Rio Pinheiros estará entregue à população”, afirmou Doria.

O espaço deverá, ainda de acordo com o governo, ter ciclovias, cafés, passarela flutuante, área de esportes e lazer com 8,2 km de extensão e área verde de 65 mil metros quadrados.

O investimento de R$ 30 milhões foi feito pela iniciativa privada.