São Paulo anuncia redução de intervalo entre as doses da vacina da Pfizer para 30 dias

·2 minuto de leitura
BRAZIL - 2021/04/12: In this photo illustration the medical syringe is seen with Pfizer company logo displayed on a screen in the background. (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Vacina da Pfizer estava sendo aplicada com 12 semanas de intervalo (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Estado de São Paulo anunciou que vai diminuir intervalo entre as doses da vacina da Pfizer para 30 dias

  • Segundo o governo estadual, medida é importante para conter o avanço da variante Delta

  • No Brasil, vacina da Pfizer está sendo aplicada com 12 semanas de intervalo, apesar de a bula recomendar que intervalo seja de 21 a 28 dias

O estado de São Paulo vai diminuir o intervalo entre as doses da Pfizer. Agora, o tempo entre a primeira e a segunda dose será de 30 dias, não mais de 12 semanas, como estava sendo antes. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (17) pelo governador João Doria (PSDB) e pela coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula. 

Para poder reduzir o intervalo, o governo estadual pediu para que o Ministério da Saúde cumpra as entregas previstas. 

Leia também:

"Vamos vacinas todos os adolescentes. Precisamos também que o Ministério da Saúde nos encaminhe doses da vacina da Pfizer para que a gente possa antecipar, adiantar a segunda dose, como está previsto na bula da vacina da Pfizer", explicou Regiane de Paula. 

Com a dependência da chegada de doses para colocar em prática a mudança, o governo não fez uma previsão de quando essa alteração começará efetivamente.

O recomendado pela Pfizer é que o intervalo entre as doses seja entre 21 e 28 dias. Em todo o Brasil, o intervalo estava sendo mais longo, com o objetivo de vacinar mais rapidamente a população com a primeira dose. 

"A preocupação com essa variante Delta, experiência de outros países e de trabalhos que estão sendo publicados, que a capacidade e a eficácia das vacinas, para impedir transmissibilidade da doença, cai com apenas a primeira dose. Apenas de manterem um nível de eficácia contra casos graves, há uma redução na sua eficácia. Nesse momento, em que toda a população acima de 18 anos já recebeu a primeira dose, nós defendemos que a segunda dose deve ser acelerada. E o espaçamento entre D1 e D2 possa ser reduzido", disse João Gabbardo, do Comitê de Contingência. 

Nesta quarta-feira, o estado de São Paulo deu início à vacinação de jovens entre 12 e 17 anos. Os primeiros são os adolescentes com comorbidades. Segundo a determinação da Anvisa, essa faixa etária só pode ser imunizada com a vacina da Pfizer, portanto, todos eles receberão a segunda dose em 30 dias. Com isso, todos os jovens de mais de 12 anos estariam com as duas doses da vacina até meados de outubro. 

Confirma como está previsto o calendário de vacinação dos adolescentes no estado de SP:

  • 18 a 29 de agosto: 12 a 17 anos com comorbidades, deficiências, gestantes e puérperas

  • 30 de agosto a 5 de setembro: 15 a 17 anos

  • 6 a 12 de setembro: 12 a 14 anos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos