Novo mês, novo recorde: São Paulo registra 1.389 mortes por Covid-19 em 24h

·3 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Nelson Antoine
Foto: AP Photo/Nelson Antoine
  • Estado de São Paulo registra mais um recorde de mortes diárias pela Covid-19

  • Ao menos 555 pessoas já morreram enquanto aguardavam um leito de UTI no estado mais rico da união

  • Números reforçam ideia de que país vive atualmente o seu pior momento na pandemia

Reforçando a ideia de que o Brasil passar pelo seu pior momento da pandemia do novo coronavírus, o estado de São Paulo bateu novo recorde de mortes diárias por Covid-19 nesta terça-feira (06). Foram registrados 1.389 óbitos pela doença em 24h. 

O maior registro havia sido há uma semana, na última terça-feira: 1.209 mortes. Com essa atualização, o estado chega ao total de 78.554 mortes pela Covid-19. Vale ressaltar que é justamente na terça-feira que os números costumam ser mais altos, devido ao represamento de dados do final de semana. 

Leia também

Os novos registros não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram computadas no sistema neste período.

São Paulo também registrou 22.794 casos confirmados da doença nesta terça, chegando a um total de 2.554.841 contaminados.

Mortes por falta de leitos seguem acontecem no estado

Hospitais em São Paulo seguem com alta lotação e estado registra mais de 550 mortos que não conseguiram acesso a um leito de UTI -  MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images
Hospitais em São Paulo seguem com alta lotação e estado registra mais de 550 mortos que não conseguiram acesso a um leito de UTI - MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images

De acordo com um levantamento da TV Globo, ao menos 55 pessoas com Covid-19 ou com suspeito da doença morreram enquanto aguardavam por um leito de UTI desde o início de março no estado de São Paulo. 

Foi confirmada também, nesta segunda-feira (05), o sexto óbito de um paciente que não conseguiu vaga em um leito de UTI na capital paulista, cidade mais rica do país. 

Sumaré, na região de Campinas, segue no topo desse ranking mórbido e desastroso: ao menos 81 pacientes perderam a vida durante a espera por um tratamento de alta complexidade. Franco da Rocha (48) e Bauru (47) aparecem logo na sequência. 

Diretor do Butantan prevê 5 mil mortes diárias no país

Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas fez previsões nada otimistas sobre a Covid-19 para o mês de abril. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, ele disse acreditar que viveremos um período “dramático” e que o Brasil poderá chegar em breve a cinco mil mortes diárias por causa do vírus.

"Estamos num momento em que a velocidade de transmissão ainda é muito alta. Abril vai ser o mês dramático para o Brasil. Os próximos 15 dias serão muito dramáticos. Veja, há uns 20 dias, parece que ninguém imaginava que iríamos checar à casa dos 3 mil mortos por dia. Os especialistas apontavam que estávamos caminhando disso, mas a opinião geral da população não era essa. E então cruzamos a casa dos 2 mil, já passamos na casa dos 3 mil, estamos indo para os 4 mil e vamos chegar a 5 mil mortes por dia”, disse.

Covas lamentou a falta de sincronia entre as medidas adotadas por municípios e estados e fez críticas à condução da pandemia pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Para o diretor, a única forma de reduzir o número de mortes é enrijecer o isolamento social em todo o país.