Por avanço da Covid, São Paulo pode ter medidas mais restritivas nesta quinta

·2 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Carla Carniel
Foto: AP Photo/Carla Carniel

O Brasil vive um novo avanço da pandemia do novo coronavírus e São Paulo é um dos estados que mais preocupam. O Estado pode endurecer algumas medidas de restrição nessa quinta-feira (07). A possibilidade foi ventilada pelo próprio coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes.

"A situação em São Paulo não é boa, é muito preocupante. Desde novembro observamos aumento crescente de casos, internações e óbitos, mas ainda não atingimos o pior momento que tivemos, que foi em julho. Ainda é uma situação menos grave, mas muito preocupante", disse Menezes em entrevista à CNN Brasil.

Leia também

Questionado sobre medidas adotadas pelo governo João Doria (PSDB) durante as festas de final de ano, Menezes defendeu ter regredido todo o estado à fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo, durante os feriados prolongados.

"Tivemos um aumento importante de isolamento social, algo que a gente não observava desde maio. Continuamos preocupados observando os indicadores todos os dias. Amanhã [quinta-feira (07)] devemos ter uma reclassificação, é possível que alguma região tenha medidas mais restritivas", projetou.

Doria admite segunda onda

João Doria reconheceu que o estado passa por uma segunda onda de Covid-19. Doria disse também que o ano de 2021 será mais difícil do que o esperado em outubro do ano passado, quando a pandemia do novo coronavírus dava sinais de estar enfraquecendo.

Os casos de Covid-19 aumentaram em 68% em São Paulo durante o mês de dezembro. Os hospitais particulares de São Paulo têm registrado ocupação acima de 90% nos últimos dias em decorrência do aumento de internações.

“700 pessoas perdem a vida por covid todo dia (no Brasil). São 4 aviões lotados todos os dias. Isso não é banal. É triste, trágico. Em São Paulo perdemos 100 vidas em um único dia. Isso não deve passar pela nossa visão, pela nossa leitura, imaginando que faz parte do cotidiano”, completou o governador.

O governo também voltou a garantir que o estado de São Paulo começará a vacinar a população contra o novo coronavírus a partir de 25 de janeiro.