São Paulo receberá insumos para produção de 14 milhões de vacinas na quinta-feira

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
Cars line up at a drive through vaccination center at the Pacaembu Stadium in Sao Paulo, Brazil, on February 9, 2021. - Brazil's regulators gave conditional approval for Sinovac Biotech Ltds shot, CoronaVac, clearing the way for general use. Elderly and at risk members of the population have been given priority.  (Photo by Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Butantan está operando em tempo integral para otimizar produção das vacinas (Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)

Na próxima quinta-feira, 4, o Instituto Butantan vai receber um novo carregamento de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) proveniente da China. Serão 8 mil litros de matéria prima, o que permitirá a produção de 14 milhões de doses da CoronaVac.

O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nesta segunda-feira, 1º. Segundo o tucano, ainda em março, o Butantan entregará ao Ministério da Saúde mais vacinas do que o previsto inicialmente.

Leia também

“São Paulo vai entregar mais 21 milhões de doses da vacina do Butantan neste mês de março para o Ministério da Saúde, 17% a mais do que o previsto anteriormente”, afirmou Doria.

Segundo o governador, o aumento na produção das vacinas se deve ao fato de que, agora, o Instituto Butantan opera 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Com isso, o governo de São Paulo promete entregar o total de 100 milhões de vacinas ao Ministério da Saúde até 30 de agosto, um mês antes do prazo previsto em contrato. O documento garante que as primeiras 100 milhões de vacinas do Butantan devem, obrigatoriamente, ser repassadas para serem usadas no Plano Nacional de Imunização.

Após a entrega completa, Doria pretende comprar novas doses da vacina para vacinar exclusivamente a população de São Paulo.