São Paulo tem "pior semana" desde o início da pandemia de Covid-19

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
Governor João Doria announces new measures to intensify the fight against the new coronavirus (Covid-19) in the State of São Paulo, this Monday, October 5, 2020 at the Palácio dos Bandeirantes in the neighborhood of Morumbi, south zone of São Paulo, Brazil. In the photo, the Secretary of State for Health, Jean Gorinchteyn. (Photo: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
A avaliação foi feita pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, na coletiva desta segunda-feira (Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA)

São Paulo teve, na última semana, seu pior momento até agora no enfrentamento à pandemia de Covid-19 desde março de 2020. A avaliação foi feita pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, na coletiva de imprensa do governo Doria, na tarde desta segunda-feira (18).

O estado, segundo os dados do governo, apresentou um crescimento de 77% no número de casos da doença, aumento de 59% no número de óbitos e incremento em 28% no número de internações, na comparação dos últimos 7 dias com a última semana de 2020, segundo o secretário.

“Essa última semana foi a pior semana epidemiológica na história da pandemia no estado de São Paulo. Comparando a semana epidemiológica anterior com a última semana do ano de 2020, tivemos um aumento de 77% no número de casos, 59% no número de óbitos e 28% no número de internações”, enumerou Gorinchteyn.

Com os números desta segunda, São Paulo tem 1.628.272 casos confirmados e 49.987 óbitos registrados por Covid-19. As taxas de ocupação das UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) são de 69,1% no estado, e 70,1% na Grande São Paulo.

Na semana passada, São Paulo registrou uma média diária de 11,3 mil novos casos, superando a média de 10,8 mil casos registrados por dia em agosto de 2020. A respeito das internações, o estado também ocupa um patamar semelhante ao de agosto, com uma média de 1.747 internações por dia, frente às 1.733 registradas naquele período.

Leia também

O secretário destacou que a alta nos números de infecções pela Covid-19 iniciada em dezembro teve seu pico ao fim dos primeiros quinze dias de janeiro, ultrapassando o pior momento da pandemia em São Paulo, registrado em agosto do ano passado.

“Em 45 dias, elevamos mais casos do que aquilo que conseguimos em 5 meses, de março a agosto de 2020”, completou o secretário.

Gorinchteyn também mencionou que, somente na semana passada, o número de internados em UTI aumentou em quase mil pacientes. “Estamos com 6.004 pessoas na UTI. Na semana passada, tínhamos pouco mais de 5 mil. São quase 1.000 pessoas a mais do que semana passada ocupando leitos de UTI”.

A explosão de casos, internações e morte ocorreu 14 dias após o ápice das aglomerações promovidas pelas festas de final de ano. E apesar do cenário ruim, especialistas alertam que a situação da pandemia no país ainda pode ficar pior.

Na tentativa de frear a pandemia, o governo regressou sete cidades do estado à fase laranja do Plano São Paulo. A reclassificação, válida a partir desta segunda-feira (18), foi feita na sexta-feira (15).