São Paulo ultrapassa 80 mil mortes por Covid-19

Gabriel Melloni
·3 minuto de leitura
São Paulo ultrapassou 80 mil mortos pelo coronavírus (Michael Dantas/AFP via Getty Images)
São Paulo ultrapassou 80 mil mortos pelo coronavírus (Michael Dantas/AFP via Getty Images)
  • São Paulo chegou a 80.742 mortos pela Covid-19

  • Nas últimas 24 horas, foram 1.299 novos óbitos no estado

  • Já são 2.597.366 casos, sendo 21.004 confirmados nas últimas 24 horas

São Paulo ultrapassou as 80 mil mortes por Covid-19 nesta quinta-feira. De acordo com a última atualização do número, divulgada pela manhã, o estado chegou a 80.742 vidas perdidas por causa da pandemia.

Foram 1.299 mortes em 24 horas, segundo maior número em toda a pandemia e próximo do recorde do estado, de 1.389, registrado na última terça-feira.

Leia também

Os dados reforçam que São Paulo vive o momento mais crítico desde a primeira morte causada pelo vírus, há pouco mais de um ano.

Se fosse um país, o estado seria o nono com mais óbitos registrados pela Covid-19, atrás apenas de Estados Unidos (552.928), Brasil (341.097), México (205.002), Índia (166.862), Reino Unido (126.882), Itália (111.747), Rússia (101.480) e França (96.673).

Em apenas oito dias, São Paulo já registrou 6.090 mortes pelo vírus em abril. O número já é maior do que os alcançados em todo o mês de março (136), abril (2.239), maio (5.240), setembro (5.608), outubro (3.689), novembro (2.784) e dezembro (4.622) de 2020.

O estado também alcançou a marca de 2.597.366 casos desde o início da pandemia, sendo 21.004 apenas nas últimas 24 horas. Se fosse um país, São Paulo seria o 11º com mais casos de Covid-19.

São Paulo pode estender fase emergencial

O Governo de São Paulo vai discutir ainda nesta quinta-feira os próximos passos do plano de combate à pandemia no estado. O centro de contingência da Covid-19 já recomendou a manutenção da fase emergencial, mas algumas questões preocupam João Doria (PSDB) e sua cúpula.

Doria pode anunciar manutenção da fase emergencial nesta sexta (AP Photo/Andre Penner)
Doria pode anunciar manutenção da fase emergencial nesta sexta (AP Photo/Andre Penner)

De acordo com o Estadão, assessores do governador já se mostraram preocupados com a reação do comércio à extensão do fechamento. Isso porque os estabelecimentos estão impedidos de abrir desde o dia 6 de março, quando entrou em vigor a fase vermelha. Um novo decreto de 15 dias prolongaria a medida até as vésperas do Dia das Mães (9 de maio), data importantíssima para os comerciantes.

Entre os cientistas e especialistas no combate ao vírus, porém, a recomendação pela manutenção da fase emergencial é certa. Isso porque São Paulo vive o pior momento da pandemia, com recordes de mortos e lutando contra um colapso na saúde.

Os 20 especialistas do centro de contingência consideram que houve melhoras em alguns números, como a ocupação de leitos de UTI, que baixou de 90% pela primeira vez em três semanas e chegou a 89%, mas avaliam que não foi suficiente para um afrouxamento das medidas.