Sarah Palin perde eleição especial para democrata no Alasca

A ex-governadora do Alasca Sarah Palin perdeu na quarta-feira uma eleição especial pela única cadeira do estado na Câmara de Representantes dos Estados Unidos, resultado considerado um teste para as eleições de meio de mandato de 8 de novembro.

Palin, de 58 anos, aspirava retornar à política com sua candidatura à cadeira, que ficou vaga após a morte em março do republicano Don Young, que ocupava a vaga do Alasca na Câmara há 49 anos.

Apesar do apoio do ex-presidente Donald Trump, Palin foi derrotada pela democrata Mary Peltola, que representará o estado do Alasca até 8 de novembro, quando as 435 cadeiras da Câmara de Representantes voltarão a ser disputadas nas urnas.

Palin pode se candidata novamente em novembro.

A cristã conservadora teve um papel crucial na guinada populista do Partido Republicano nos últimos anos. O principal momento de sua carreira aconteceu quando o candidato republicano à presidência John McCain a escolheu como vice nas eleições de 2008.

A ascensão de Palin durante a campanha, quando enfatizou seu papel de 'outsider', é considerada por analistas um movimento que preparou o caminho para que um empresário como Trump chegasse à Casa Branca oito anos depois.

Com resultados diversos nas primárias, Trump tentou manter o controle sobre o Partido Republicano, anunciando apoios seletivos a candidatos que, em sua maioria, respaldaram suas alegações sem fundamento de fraudes nas eleições presidenciais de 2020.

Durante as eleições de meio de mandato, os americanos também renovarão um terço do Senado e escolherão quase 30 governadores de estados.

to/md/nzg/elm/ag/mas/fp