Prefeito de São Paulo culpa "fake news"por aumento de casos de sarampo na cidade

Ampola de vacina usada no combate ao sarampo. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Casos de sarampo aumentaram 164% em São Paulo no mês de julho

  • Campanha de vacinação tem baixa adesão na capital paulista

A cidade de São Paulo registrou 226 casos de sarampo apenas no mês de julho, o que representa um aumento de 164%. No total, a capital paulista apresentou 363 casos neste ano. A metrópole iniciou uma campanha de vacinação no dia 10 de julho, com a expectativa de vacinar 3 milhões de pessoas até o dia 16 de agosto.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

Nesta segunda-feira, o prefeito Bruno Covas afirmou que o aumento de casos da doença se deve "em grande parte às fake news na internet". Em São Paulo, a taxa de adesão da campanha de vacinação está em cerca de 6%. Segundo Covas, a divulgação de notícias sem confirmação científica tem contribuído para a baixa vacinação na capital.

Leia também

"É inaceitável que, apesar da democratização dos meios digitais, haja desinformação e disseminação de falsas notícias que contribuem para o recrudescimento do sarampo no Brasil e na cidade de São Paulo", afirmou Covas. O Estado de São Paulo registra um total de 484 casos desde 2018.

A campanha de vacinação tem como alvo pessoas de 15 a 29 anos. Apesar do público-alvo bem definido, a vacina está disponível para todos os interessados em hospitais e postos de saúde e, mais recentemente, em terminais de ônibus e estações de metrô.

O Brasil possuía o certificado de eliminação do Sarampo concedido pela OMS em 2016. Em fevereiro do ano passado, a doença voltou com força ao país com mais de 10 mil casos registrados.