Em seu 1º depoimento, sargento da FAB pego com cocaína inocenta colegas

Sargento Manuel Silva Rodrigues se negou a responder as questões feitas pela Polícia Federal. (Foto: Reprodução)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Em seu 1º depoimento às autoridades brasileiras, sargento da FAB flagrado com cocaína inocentou os colegas

  • Manuel Silva Rodrigues afirmou que agiu sozinho, mas responde somente as perguntas feitas pelo oficial da FAB

O 2º sargento da Aeronáutica flagrado com 39kg de cocaína transportada em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) inocentou os colegas militares que o acompanhavam no voo. Manuel Silva Rodrigues foi preso ao desembarcar na Espanha de um avião que integrava a comitiva do presidente Jair Bolsonaro ao G20, em julho.

Em seu primeiro depoimento prestado às autoridades brasileiras desde que foi preso, realizado no último dia 26, o militar mal se pronunciou. Rodrigues respondeu apenas as perguntas feitas por um oficial enviado pela FAB. Quando foi questionado pela Polícia Federal, ele se silenciou.

Leia também

Ao oficial da FAB, o militar afirmou que agiu sozinho, sem o conhecimento de parentes ou militares. Rodrigues também fez questão de frisar que os colegas que o acompanhavam no voo em que foi flagrado com a droga também não tinham conhecimento do tráfico.

“Acerca da pergunta 23, responde que nenhuma pessoa da tripulação está envolvida nos fatos. Que as pessoas do grupo de transporte especial, outros militares, não tinham conhecimento acerca dos fatos”, diz a cópia do depoimento, obtido e publicado pelo jornalista Lauro Jardim, em sua coluna no Jornal O Globo.

O 2ª sargento também foi perguntado sobre objetos de valor apreendidos em sua casa. Ele admite que possui um carro e duas motos, mas, a respeito dos relógios encontrados, alega que são réplicas, compradas em outras viagens ao exterior.